Microsoft quer que clientes descartem o Windows 7, migrando para Windows 10

A Microsoft revelou no início de agosto de 2018 que teve o seu terceiro mês consecutivo de aumento por clientes que adquiriram o Windows 10.

A empresa tem feito notícias e campanhas online para que os seus clientes migrem para o novo software, principalmente os usuários do Windows 7, uma vez que esse ficara sem suporte a partir de 2020.

Um sistema operacional sem suporte não recebe atualizações. Sem atualizações podem acontecer falhes de segurança, facilitando, entre outras coisas a invasão dos computadores por hackers.

Em julho, o aumento foi de quase 1% o que significa que pouco mais de 40% dos computadores particulares e privados que utilizam os sistemas operacionais da empresa estão utilizando o Windows 10.

Por outro lado, o Windows 7 caiu quase 0,5%, mais um comprovante que os usuários estão de fato fazendo a migração. Mesmo assim, o uso de computadores com o sistema operacional da Microsoft ainda é de aproximadamente 45%, sendo ainda maior que os que utilizam o Windows 10.

Se essa queda no Windows 7 e crescimento do Windows 10 se mantiver, a estimativa é que no início de 2020, quando a Microsoft deixar de prestar atendimento para a versão 7, ainda serão cerca de 35% de usuários utilizando o software.

Já a versão 10 do software estará em aproximadamente 59% dos usuários.

Notícias que tem circulado pela internet, dizem que a empresa está tentando com força aumentar a utilização do Windows 10. Uma dessas formas é impedindo que aparelhos comprados novos, só saiam da fábrica com a versão 10 do Windows.

Um dos motivos para essa forte campanha que eles estão fazendo, é que eles precisam ganhar dinheiro com as assinaturas da versão mais recente do software, já que quando o suporte para a outra versão terminar, eles não poderão mais cobrar pelas assinaturas.

Assim eles também podem monetizar melhor os outros recursos vendidos para essa versão do Windows, o que o torna mais rentável a longo prazo.

 

E você, prefere o Windows 7 ou o 10? Não esqueça de compartilhar em suas redes sociais.

Falta de chuvas mantém conta de luz mais cara em agosto

Conforme divulgado pelo diretor da ONS (Operador Nacional do Sistema Elétrico), Luís Eduardo Barata, a parcela de tarifas da conta de luz continuará elevada no mês de agosto, seguindo a tendência do mês anterior. O motivo da alta nos valores do serviço, de acordo com a instituição, é a falta de chuva no período do ano, além de outras adversidades climáticas que encarecem o fornecimento do serviço.

De acordo com o previsto na bandeira vermelha, haverá um custo adicional a cada 100 kWh (quilowatts-hora) na conta dos usuários, no valor de R$ 5. A notícia da ONS pela permanência da tarifa explica que as condições meteorológicas negativas demandam manutenções específicas e frequentes. Além disso, a queda no nível de armazenamento dos reservatórios do SIN (Sistema Interligado Nacional) é outro fator agravante para o fornecimento de energia.

Segundo Luís Barata, a bandeira vermelha de agosto é necessária diante do cenário desfavorável, e ela deverá se manter até o término do período seco. A tendência é a situação permanecer assim até que as adversidades hidrológicas terminem, com a volta das chuvas.

Entretanto, Luís Barata descartou qualquer possibilidade de interrupção no abastecimento durante o período. Apesar do valor salgado, os serviços de energia continuarão sendo fornecidos normalmente, e a recomendação aos usuários é para reduzir o seu consumo . Com disciplina e com um uso racionado de energia, a conta de luz estará menor no fim do mês.

O diretor da ONS explicou que o fenômeno natural que acarretou o problema da seca, o El Niño, também trará a solução para o fim do problema hidrológico. Com a previsão e as notícias de chuva para o sul do país, aguardada ansiosamente pelos especialistas, a melhora nos serviços elétricos da região será resolvida naturalmente.

Luís Barata ainda destacou que a Região Nordeste tem contribuído fortemente para a manutenção do fornecimento elétrico nacional. Favorecidas pela temporada de ventos fortes do Nordeste, as usinas eólicas estão no seu ponto alto de produção, tendência que deve se manter pelos próximos dois meses. Somadas às usinas térmicas, as usinas eólicas têm garantido o fornecimento não só para os setores próximos ao Nordeste, mas também exportando o excedente pelo Sistema Interligado Nacional.

Empresa desenvolve estudo do trabalho freelancer no Brasil

De acordo com o Relatório de Trabalho Independente e Empreendimento 2018, estudo conduzido pela Workana mostra que 63% dos profissionais têm interesse em se tornar empreendedores. Um dos meios utilizados para esse fim é o trabalho freelancer, conciliando assim o tempo livre para o empreendedorismo.

Esse panorama mostra que as mais pessoas buscam a alternativa por conta da possibilidade de trabalhar em casa, flexibilidade de horário, maiores ganhos, entre outros benefícios. Em conjunto com o surgimento de plataformas que fazem a ponte entre cliente e freelancer, o crescimento da categoria foi de 80% em 2017.

Segundo o estudo, 25% dos empreendedores inovam em suas habilidades e apresentam projetos adequados à sua nova realidade; 15% desses profissionais já possuem mais de um tipo de especialização em sua área de atuação.

Diferenciais para a área

A pesquisa também analisou as habilidades para ter sucesso no segmento. 50% dos entrevistados acreditam que são conhecimentos em Tecnologia da Informação (TI); 30% acreditam que são outros idiomas e 15% em comunicação/ marketing.

50% das empresas entrevistadas oferecem algum benefício do horário flexível; 20% desejam que seus funcionários sigam um plano de carreira. O cofundador da Workana, Guillermo Bracciaforte, afirmou que as mudanças influenciam como as empresas enxergam a prática do freelancer. Para ele as empresas buscam profissionais que tenham liberdade e autonomia para tomar decisões e dar boas sugestões.

As empresas que recorrem aos freelancers se beneficiam com custos fixos reduzidos, possibilidade de contratação de acordo com a demanda ou para projetos específicos. As corporações já entendem que essa é a realidade e muitas delas já buscam formas de se adaptarem. Entre elas estão plano de carreira tanto para funcionários contratados no regime de CLT quanto para os que atuam na modalidade freelancer.

“O que vemos para os próximos anos é um crescimento ainda maior da modalidade freelance, para que as pessoas consigam crescer cada vez profissionalmente”, conclui Guillermo Bracciaforte.

Crise de moradia na França cresceu nos últimos anos

A fundação humanitária Abbé Pierre divulgou um parecer, onde constatou que cerca de 9% das pessoas que moram na França, estão vivendo em locais muito pequenos e alguns não possuem mais de 15m². O relatório também descobriu que cerca de quatro milhões de habitantes estão morando precariamente ou não possuem nem mesmo uma moradia, indo parar nas ruas.

Notícias revelam que uma das causas da crise de moradia francesa são os aluguéis mais caros, especialmente nas maiores cidades do país. Essa situação acaba elevando o número de pessoas que moram de maneira precária e segundo o relatório, que está em sua 23° edição, são em torno de 15 milhões de cidadãos no país que estão tendo dificuldades para conseguir pagar pela sua moradia.

Esses problemas aparecem de várias formas, como  o aumento do número de moradores de rua  em cerca de 50% entre os anos de 2001 e 2012, chegando a 143 mil pessoas no país morando nas ruas. Existem também as pessoas que possuem casa, mas estão passando por diversas dificuldades para manter as suas moradias, e outras que estão morando em lugares extremamente pequenos.

Os números apresentados por casas muito lotadas vinham diminuindo há muitas décadas, mas depois de 2006 voltou a crescer. A capital francesa é o local onde foram verificadas as situações mais graves de moradias superlotadas, com um aumento de 25% entre os anos de 2006 e 2013.

De acordo com o Insee (sigla em francês para Instituto Francês de Estatísticas e Estudos Econômicos), para saber se uma residência está superlotada ou não, é preciso verificar os cômodos designados para cada morador. Esse cálculo não é feito pela quantidade de metros quadrados para cada pessoa que mora na casa.

Segundo o Insee, residências com quarto e sala são ideais somente para um casal ou para uma pessoa com um filho, por exemplo. Mas existem famílias inteiras morando em apartamentos que não possuem mais que 15m², fazendo com que o princípio de dois cômodos para duas pessoas não seja seguido em casas de famílias mais modestas.

Outras situações chamaram a atenção da fundação Abbé Pierre, como o aumento do número de pessoas que não estão ligando o aquecimento de suas casas no inverno, principalmente por não terem como pagar o sistema de calefação da sua moradia. O relatório identificou que são mais de dois milhões de pessoas, que estão passando frio dentro de suas próprias casas.

Aumento do derretimento de geleiras preocupa comunidade global

Devido aos fatores ambientais e mudanças climáticas, o continente da Antártida perdeu quase três trilhões de toneladas de gelo em um período de 25 anos.

Os dados, publicados pela revista Nature, em um novo estudo, ainda apontam que a velocidade de derretimento das geleiras do continente estão aumentando. Com isso, o ritmo de elevação dos oceanos também é aumentando, alcançando a velocidade de 0,6 milímetros por ano. Há 5 anos, quando o último estudo a respeito desse tema foi concluído, a taxa de de elevação era três vezes menor, em torno de 0,2 milímetros anuais.

Notícias desse tipo tem causado grande preocupação global, principalmente entre os países costeiros e para ilhas habitadas. Nesses terrenos, uma pequena elevação marítima pode ser fortemente percebida, significando perda de terras e, em longo prazo, até mesmo o desaparecimento do território.

Além disso, a elevação do nível do mar, provocada pelo derretimento de geleiras, tem influenciado fortemente o ecossistema global. Animais que vivem em geleiras tem perdido cada vez mais espaço, por vezes menos que o necessário para suas existências, colocando suas espécies em risco de extinção. Biomas marítimos e florestais costeiros também são impactados: enquanto os primeiros sofrem desequilíbrios acentuados com a nova massa de água incorporada, os segundos correm risco de serem destruídos pelo avanço das águas em regiões litorâneas.

Para auxiliar no controle e estudo de novas formas de combate ao derretimento das geleiras, diversas nações fazem o acompanhamento por satélite da região do continente Antártico. A pioneira nesse sentido foi a União Europeia, que iniciou a cobertura e estudo da área em 1992.

Um dos principais fatores apontados por especialistas ambientais para esse fenômeno é o aquecimento global, causado pela emissão acentuada de gases de efeito estufa, como o dióxido de carbono, produzido em todas as reações de queima.

Por esse motivo, há uma pressão global para o controle, por parte dos governos, da emissão desses gases, tendo sido assinados importantes e complexos tratados a respeito do tema. O mais famoso deles é o Acordo do Clima de Paris, assinado por diversos países da Organização das Nações Unidas, do qual o Brasil faz parte, no qual elas se comprometeram em reduzir as emissões de gases estufa a partir do ano 2020.

Motoristas da Uber no Reino Unido terão descanso obrigatório de 6 horas

Os motoristas que trabalham com o sistema da Uber no Reino Unido terão que descansar por pelo menos seis horas após trabalharem em uma longa jornada de 10 horas sem pausa.

Segundo um anúncio feito pela Uber, a medida não é apenas uma recomendação, mas sim uma exigência da empresa que está buscando proporcionar qualidade de vida para os motoristas que trabalham em sua frota. Além disso, a Uber que fez o anúncio no dia 16 de janeiro deste ano, também informou que a medida será adotada pela empresa para sanar as críticas de que os motoristas britânicos da empresa tem trabalhado em excesso.

Em dezembro de 2017, a Uber informou que mais de 30% dos 50 mil britânicos que trabalham como motorista, utilizam o aplicativo da Uber como ferramenta de trabalho. Além disso, essa parcela de motoristas no Reino Unido passa mais de 40 horas semanais trabalhando através do aplicativo. Outros 8% desse total, ainda passam mais de 60 horas semanais online no aplicativo.

Esse excesso nas horas trabalhadas pelos motoristas britânicos foi criticado por parlamentares e sindicatos do Reino Unido, que atacou diretamente o serviço de transporte como responsável pelo excesso de trabalho.

Atualmente, essa é apenas uma crítica das muitas que a empresa já enfrenta em relação ao serviço oferecido e ao cuidado de seus motoristas. A maior batalha da Uber dentro do Reino Unido está na Inglaterra, especificamente em Londres, onde a empresa teve sua licença suspensa pelo governo londrino.

Durante o anúncio, a Uber informou que a nova obrigação de pausa para descanso já está valendo para todos os motoristas do Reino Unido. O chefe de política Andrew Byrne responsável pela Uber no Reino Unido, disse sobre a decisão: “Embora os motoristas gastam apenas uma média de 30 horas por semana conectados em nosso aplicativo, queremos fazer nossa parte para garantir que não estejam cansados”.

Além disso, Byrne informou que a Uber já tem adotado outras estratégias para que os britânicos reduzam as horas trabalhadas. “É por isso que temos enviado regularmente aos motoristas lembretes para que façam pausas e o porquê estamos implementando esses novos limites”.

Passeio de barco por Recife é um bom programa na cidade

O nordeste é repleto de belezas naturais que só quem visita a região vai entender, mas juntamente com as áreas verdes estão os encantos das áreas urbanas que possuem uma identidade visual e histórica dignas de atenção e um belo passeio.

Um dos passeios mais recomendados na região do Nordeste está na cidade de Recife. O tour é feito em um catamarã (embarcação feita de dois cascos). Nesse programa quem investe o tempo não vai se arrepender com a paisagem atrativa repleta de pontes, edifícios históricos e canais.

O começo do passeio irá fazer o visitante conhecer o rio que corta a capital de Pernambuco. Na Praça do Marco Zero, um dos lugares centrais mais conhecidos da capital nordestina, o turista poderá ter uma refeição típica no restaurante Catamaran.

Na embarcação são mais de 100 pessoas que podem ser transportadas, todas elas poderão aproveitar o tour ao som de cantores pernambucanos conhecidos em todo o país como Luiz Gonzaga, Chico Science & Nação Zumbi, Geraldo Azevedo e Alceu Valença.

A paisagem está composta de mangues, edifícios antigos e arranha-céus modernos que poderão ser vistos no percurso do passeio. O Parque das Esculturas também pode ser visto do barco assim como as três ilhas que compõem a área central de Recife (Boa Vista, Recife Antigo e Santo Antônio). Durante o trajeto o catamarã também passa por debaixo de cinco pontes, enquanto o guia do passeio irá explicar a história de cada lugar por onde o barco passa.

Ao passar por debaixo de cada ponte o guia aconselha aos passageiros a fazerem um pedido. O artista paulistano Eduardo Kobra pintou na lateral da prefeitura da cidade de Recife uma colorida e grande ilustração do cantor Luiz Gonzaga. Ao observar o edifício da Assembleia Legislativa de Pernambuco a beleza da arquitetura pedirá uma fotos de recordação. Para quem curte espetáculos teatrais, o Teatro de Santa Isabel chama a atenção pelo estilo neoclássico, a inauguração dessa construção foi realizada no século 19.

Uma boa dica para fazer o passeio é no fim da tarde quando o clima está mais ameno e será possível admirar o pôr do sol. Quem não puder no fim da tarde poderá escolher entre os diversos horários que o passeio oferece.

Novo relógio da Apple amplia possibilidade na área médica

O Apple Watch, relógio com recursos modernos, está cada vez mais ganhando clientes. O desenvolvimento de sua tecnologia facilita o monitoramento de atividades físicas. Quando estava com problemas de saúde, Steve Jobs, deu sinal verde para que uma equipe de pesquisadores da Apple se dedicasse ao desenvolvimento de um leitor de glicose pelo relógio sem que fosse necessário um método invasivo.

Apesar das pesquisas a funcionalidade ainda não chegou a ser desenvolvida por vários motivos como o tamanho que o relógio poderia ter e pelo consumo de energia que seria preciso. No entanto, o dispositivo agora não precisa estar mais dependente do celular, isso impulsionou outras empresas a desenvolverem acessórios para o relógio digital, como um eletrocardiograma.

Além das monitorações do corpo a novidade do Apple Watch é disponibilizar um acessório tecnológico que serve como uma parte do vestuário. Essa tecnologia está trazendo novidades também para quem quer ter estilo. A tendência está demonstrando crescimento, durante três trimestres consecutivos o aumento das vendas foi de 50% em relação ao ano anterior.

A forma como as pessoas são informadas sobre sua saúde passa a mudar, da mesma maneira que a prevenção e o diagnóstico de doenças. Isso contribui para que os sistemas de inteligência artificial possam interpretar as informações recebidas por dispositivos como o Apple Watch de uma maneira mais específica, o que proporcionará uma maior prevenção sobre os possíveis problemas que possam surgir.

As informações sobre a saúde passam a ser mais propagadas entre os pacientes. Hoje, mesmo sem o uso do Apple Watch, muitos pacientes já pesquisam sobre os sintomas que estão sentindo antes de chegar no consultório do médico. Com o relógio da Apple, mais uma maneira de ter informações sobre a própria saúde é fornecida, o que vai ocasionando mudanças na forma como os médicos se relacionam com os seus pacientes.

A empresa AliveCor desenvolveu uma pulseira para servir como acessório do Apple Watch que possui um EKG portátil para detectar alguma atividade cardíaca irregular. O monitor é utilizado para alertar os seus usuários a fazerem um eletrocardiograma se constatada alguma alteração irregular na aceleração ou desaceleração do pulso.

 

Combate a tuberculose é desafiado com bactéria resiste ao tratamento

 

Especialistas na saúde vêm sendo desafiados com as bactérias da tuberculose que estão cada vez mais resistentes aos antibióticos utilizados no tratamento. Alguns países buscam maneiras de eliminar a doença e em outros, as bactérias mais resistentes fazem os cientistas buscarem por outras maneiras de combatê-las.

As pessoas com HIV e tuberculose devido à alta dosagem de medicamentos tendem a abandonar o tratamento e as consequências devido à baixa imunidade são grandes. Entre os casos de infecção no mundo inteiro, 34% são no Brasil, sendo que menos da metade dessas pessoas tomam os antirretrovirais.

Foram quase duas mil pessoas que desenvolveram a doença no Brasil nos últimos anos. Quase todos os medicamentos do tratamento têm uma resistência extrema pelo corpo testada e confirmada em dez pacientes no último ano, de acordo com dados da Organização Mundial da Saúde.

Em outros países como Peru, a organização já considera como uma epidemia a alta resistência aos antibióticos no tratamento da tuberculose, que está em uma alarmante forma de crescimento no país.

A organização alerta que essa é uma ameaça mundial e de acordo com estatísticas disponíveis, foram 600 mil novos casos de resistência ao antibiótico mais efetivo contra a doença, a rifampicina. Entre esses casos, aproximadamente 490 mil são resistentes a outras drogas utilizadas na terapia contra a doença.

Os dados mostram que foram mais de 700 mil mortes no mundo todo devido a resistência da doença ao tratamento. Se a tendência continuar, em 2050 serão 10 milhões de mortes devido à ineficácia dos antibióticos, o que seria uma pessoa a cada três segundos.

O tratamento é realizado com sete medicamentos combinados com alto custo financeiro, que podem chegar a uma soma mundial de US$ 100 trilhões. Existem vários estudos com o objetivo de tornar o tratamento mais curto e barato e com menos efeitos adversos para os pacientes, e alguns já vem apresentando resultados positivos na cura, porém, ainda não disponíveis no mercado.

Durante a 48ª Conferência Internacional sobre Doenças Pulmonares, realizada no México, algumas pesquisas desenvolvidas foram apresentadas. Em um dos estudos o tratamento a base de novas drogas aumentou seis vezes mais a chance de cura das pessoas infectadas pela tuberculose multirresistente.

 

No Bradesco, Luiz Carlos Trabuco Cappi aborda o caráter econômico da reforma previdenciária

A informação por parte do governo de que um pacote de reformas seria adotado nos meses futuros gerou comoção em diversos setores da sociedade. Até mesmo o segmento que cuida das instituições financeiras passou por algumas modificações em virtude da proximidade com esse tipo de assunto. Para falar sobre o tema, o presidente do Bradesco, Luiz Carlos Trabuco Cappi, foi entrevistado pela revista Valor. Um dos primeiros pontos tratados pelo entrevistado foi o caráter de urgência que o executivo atribuiu às alterações do âmbito previdenciário, uma vez que outros setores sociais estão de alguma maneira relacionados com o modo como as pessoas se aposentam na atualidade.

Luiz Carlos Trabuco Cappi explicou que o pacote de novas regras previdenciárias possivelmente levará um período considerável de tempo até que comece de fato a valer para os cidadãos que se aposentarão. Além disso, o gestor máximo do Bradesco esclarece que a decisão de quando isso realmente irá acontecer deve surgir exclusivamente dos operadores do governo, já que estes são absolutamente capazes de escolher um momento ideal para tal. O executivo, no entanto, não vê impedimentos para que isso ocorra já em 2018, possivelmente no período que antecederá as eleições.

Pelo fato de atuar no segmento de instituições bancárias, a entrevista concedida por Luiz Carlos Trabuco Cappi tratou principalmente das repercussões econômicas em face da iminência da reforma da previdência. Assim sendo, o executivo salientou que, do ponto de vista econômico, esse tipo de adequação proveniente do campo previdenciário seria importante para a manutenção da saúde financeira do Tesouro nacional. O presidente do grupo também ressaltou que as pessoas terão com isso uma maior garantia de que poderão se aposentar com todos os direitos resguardados.

O entrevistado assinalou que o andamento rotineiro da economia tem se mostrado mais dinâmico após o anúncio de que a previdência nacional passaria por alterações, de maneira que já se pode observar uma melhora generalizada no âmbito bancário. Percebendo que a classe empresarial tem aumentado seu interesse no que diz respeito à aquisição de capital de giro, o executivo atribui esse efeito à confiança resgatada pela possibilidade do país conseguir alcançar um estado de equilíbrio das contas de natureza pública.

A reforma da previdência, como explicou o presidente da organização, é determinante para que alguns avanços econômicos sejam consolidados, mas não se trata da única iniciativa governamental voltada também ao cenário bancário. Nessa ocasião da entrevista, Luiz Carlos Trabuco Cappi abordou a Agenda BC+, uma outra ação nacional que contempla a fluidez dentro do Banco Central. Além disso, a iniciativa tem o apoio do Sistema Financeiro Nacional para promover maior lisura nas transações financeiras de ordem pública.

Conforme foi pontuado pelo executivo, há a expectativa de que a economia brasileira atravesse um período de três anos com altas das taxas de juros. Mesmo não sendo considerada uma situação ideal pelos agentes econômicos, Luiz Carlos Trabuco Cappi aproveitou a circunstância para elucidar o que de positivo tem acontecido no campo econômico atualmente, já que a expectativa da reforma previdenciária tem trazido um certo alento às empresas que atuam no segmento financeiro.