Podemos curar o cérebro de um viciado?

 

Image result for cerebro viciado

Com todas as novas pesquisas sobre o vício, oportunidades para novas terapias que podem um dia reverter a condição são mais frequentes. Desenvolver drogas para tratar o vício tem sido notoriamente difícil, e não apenas por causa da ciência. Infelizmente, o estigma em torno da doença tem mantido a indústria farmacêutica, e os investidores distantes.

“Quando comecei esse trabalho há 30 anos, eu sempre dizia às pessoas que esperávamos desenvolvendo novos tratamentos dentro de cinco ou 10 anos, e hoje já são 30 anos depois”, disse Eric Nestler, “professor de neurociência na Icahn School of Medicine no Monte Sinai e um dos principais especialistas do país na Base molecular do vício”. Nestler, cujo laboratório está tentando catalogar as mudanças epigenéticas que ocorrem no cérebro durante a toxicodependência crônica, diz:“Tem sido extremamente difícil.”

A equipe foi capaz de reverter o comportamento de busca por drogas em ratos viciados usando um composto chamado N-acetilcisteína, um antioxidante que tem sido usado por décadas para tratar overdoses de acetaminofeno, e acredita-se interferir com a sinalização de glutamato.

“Em um regime de cinco dias desta droga, tudo volta ao normal”, disse ele. N-acetilcisteína pode ser comprado em lojas como um suplemento dietético e tem sido amplamente estudado em ensaios clínicos para uma variedade de transtornos mentais, como PTSD, e vícios como jogos de azar. De acordo com Kalivas, os resultados em vício até agora “obtem revisões mistas.”

Foram administrados a droga ou o placebo por oito semanas em dois grupos. A quantidade de desejo foi reduzida em 81% no grupo N-acetilcisteína em comparação com 32% no grupo placebo, e a frequência de desejo foi reduzida de 72% com o composto, em comparação com 29% no grupo placebo.

Agentes que interferem com mecanismos epigenéticos, são outro conjunto de fármacos e óbvios candidatos para tratar o vício. No estudo de Szyf, os ratos foram tratados com uma droga que inibe a metilação do ADN.

“Depois de 60 dias eles não eram viciados, mesmo que eles tenham sido tratados uma vez”, disse Szyf. Ele é co-fundador de uma start-up de Montreal que está usando a epigenética para desenvolver testes e diagnósticos, e tem direitos de marketing para um tratamento experimental de dependência.

No Monte Sinai, a equipe de Hurd tratou os ratos viciados em heroína com uma molécula que bloqueia os efeitos da acetilação. A molécula, chamada “inibidor do bromodomínio JQ1”, tornou os ratos significativamente menos interessados na heroína, e também reduziu a recaída depois de terem estado fora da heroína por mais de uma semana.

“O potencial de tal abordagem, tanto para opiáceos e outros transtornos viciantes é inspirador”, escreveu os psiquiatras Drs. Brian Fuehrlein e David Ross em um comentário que acompanhou a publicação de Hurd. A molécula JQ1 concluiu os ensaios clínicos de Fase 1 no cancro.

A evidência emergente que liga a epigenética ao vício é intrigante, disse Elliot Ehrich, diretor médico da Alkermes, uma empresa de biotecnologia que faz Vivitrol, o único medicamento aprovado pela FDA para prevenir a recaída do vício em opióides. Em ensaios clínicos, viciados relataram desejos reduzidos quando estavam sobre efeito da medicação.

Dado o foco da empresa no vício, e seu interesse em entender o desejo, Alkermes está estudando as mudanças que ocorrem em células cerebrais na esperança de desenvolver melhores tratamentos, disse Ehrich. “Podemos usar nossas ferramentas existentes ou adicionar outras ferramentas para dar aos pacientes uma opção para curar seu cérebro?”, disse Ehrich.

 

Veja também: Como pessoas tornam-se viciadas.

 

Facebook está contratando 3.000 pessoas para auxiliar em recursos de segurança

Resultado de imagem para segurança facebook

O Facebook está tomando uma abordagem decididamente de baixa tecnologia para enfrentar a onda de vídeos nocivos postados recentemente na rede social. Horas antes da empresa anunciar seus ganhos para o primeiro trimestre do ano, o CEO do Facebook, Mark Zuckerberg, revelou que está contratando 3.000 humanos – não robôs – para ajudar a resolver o problema dos conteúdos nocivos no site.

Os funcionários adicionais irão se juntar ao Facebook no próximo ano, escreveu Zuckerberg em um post no Facebook, acrescentando a uma equipe que já conta com 4.500 pessoas. “Esses revisores também nos ajudarão a melhorar a remoção de coisas que não permitimos no Facebook, como discurso de ódio e exploração infantil e continuaremos trabalhando com grupos comunitários locais e policiais que estão em melhor posição para ajudar alguém se eles precisarem – em caso deles estarem prestes a se machucar, ou de estarem em perigo sob a ameaça de outra pessoa”, escreveu Zuckerberg.

O movimento revela como o Facebook tem sido alvo de intensas críticas após uma série de vídeos nocivos postados na plataforma, incluindo suicídios ao vivo, o assassinato aparentemente aleatório de um homem de Cleveland, e um pai na Tailândia, que matou a sua jovem filha em um vídeo transmitido ao vivo.

E isso é apenas uma pequena lista dos horrores que foram transmitidos desde que a ferramenta ficou disponível para 1,86 bilhões de usuários do Facebook no ano passado. Zuckerberg disse que o Facebook também está investindo em mais maneiras de promover uma comunidade segura. Em fevereiro, a rede social anunciou a integração de ferramentas de prevenção de suicídio no Facebook Live, permitindo aos espectadores a opção de denunciar um vídeo e obter recursos para ajudá-los a chegar a um amigo em necessidade.

O algoritmo do Facebook também está ficando mais inteligente e está trabalhando para “identificar posts que inclui pensamentos de suicídio.” Após esses posts terem sido sinalizados, um membro humano da equipe do Facebook os revisará e, se apropriado, procurará a pessoa com recursos.

“Isso é importante”, disse Zuckerberg sobre o investimento do Facebook em ferramentas de segurança. “Só na semana passada, temos um relatório de que alguém ao vivo estava pensando em suicídio. Nós imediatamente solicitamos ajuda dos cumpridores da lei, e eles foram capazes de impedi-lo de se machucar.”

Ele acrescentou revelando: “Em outros casos, não fomos tão afortunados.”

A recente adição de recursos de segurança aprimorados está construindo uma visão diferente para a rede social. Segundo Mark Zuckerberg, que revelou sua visão delineada em uma carta de 5.700 palavras no mês de fevereiro, relatou que sonha em construir uma comunidade mais segura e mais inclusiva para as pessoas. Os usuários se manifestaram positivamente ao desabafo de Zuckerberg, e alegaram que esses novos recursos tornaram o Facebook mais seguro para todos os usuários.

 

Heads, de Claudio Loureiro, entre as melhores empresas para mulheres trabalharem

Trabalhando em ações em favor da igualdade de gêneros no setor de comunicação e Heads Propaganda, sob a presidência de Claudio Loureiro, é reconhecida pelo Great Place to Work como uma das Melhores Empresas para Mulheres Trabalharem no Brasil em 2017.

Levantamento realizado pelo instituto Great Place to Work apontou, juntamente com outros 29 nomes, a agência Heads Propaganda, de Claudio Loureiro, para integrar seu ranking de Melhores Empresas para Mulheres Trabalharem no Brasil, sendo a única empresa do setor de comunicação a fazer parte da lista GPTW Mulher.

Entre as dezenas de concorrentes, nesta edição, um total de 30 empresas de médio e grande porte recebeu o certificado de Melhor Empresa para a Mulher Trabalhar, a agência de Claudio Loureiro, a Heads, está na 13ª posição entre as organizações de médio porte. Neste ano, a cerimônia de premiação ocorreu no dia 9 de maio, em São Paulo.

A sócia-diretora da agência publicitária, Gabriela Duarte, declarou que o prêmio trouxe muita felicidade por ser um reconhecimento da contribuição para um ambiente harmonioso e que proporcione as mesmas oportunidades tanto para homens quanto para mulheres. “Temos nos guiado pelos princípios de igualdade de gênero também no trabalho para nossos clientes e nas discussões setoriais das quais participamos”, destacou Gabriela.

Dirigida pelo CEO e fundador Claudio Loureiro, a Heads, além de ter sido a primeira agência latino-americana a se alinhar com os importantes Princípios de Empoderamento das Mulheres, da ONU Mulheres na América Latina, também foi responsável por desenvolver a pesquisa TODXS?, que vem sendo aplicada com o intuito de avaliar o tipos de representatividade na publicidade brasileira, servindo como luta em favor da equidade de gêneros.

Claudio Loureiro investe na estratégia de ações concretas como trabalhos de consultaria para clientes em processo de desenvolvimento de campanha. O cuidado em evitar abordagens apelativas ou depreciativas às mulheres se faz muito presente na elaboração de suas peças publicitárias.

Great Place to Work Women

O Great Place to Work Woman existe desde 2016 e foi criado com a intenção de impulsionar questões relevantes voltadas exclusivamente ao gênero feminino, abordando a importância do acesso à educação, a inclusão da mulher e sua ascensão à liderança em busca do equilíbrio de oportunidades para ambos os gêneros.

O posicionamento no ranking se dá ante ao resultado da nota final alcançada. Na divisão dos pesos da nota, 60% se refere às avaliações realizadas pelo GPTW (Questionário Mulher, representatividade na estrutura e cargos de liderança) e 40% a análise das pesquisas respondidas pelos próprios funcionários das corporações sobre o perfil demográfico e o clima do ambiente de trabalho. Para participar, a companhia deve contar com, no mínimo, 100 pessoas em seu quadro de funcionários.

Empresa 100% nacional

A Heads de Claudio Loureiro, é uma empresa 100% brasileira que vem atuando na área de publicidade desde 1989. Há alguns anos, com seus escritórios em Brasília, São Paulo, Curitiba e Rio de Janeiro, a agência de Claudio Loureiro é considerada uma das líderes de mercado, sendo, de acordo com levantamento realizado pela Deloitte, a empresa deste segmento que segue apresentando maior crescimento no país.

Reforma da Previdência – governo prevê votação no Senado entre maio e junho

 

Resultado de imagem para Reforma da Previdência

Estima-se que o governo alcance a quantidade de votos necessários no plenário para a aprovação da reforma da Previdência entre a última semana de maio e a primeira de junho.

No início do mês de maio, a comissão especial da Câmara, composta por 37 deputados, analisou e aprovou a proposta da reforma previdenciária, considerada a principal medida econômica do atual governo, transformando-a na PEC (Proposta de Emenda à Constituição) 287/16. A aprovação ocorreu em razão dos 23 votos favoráveis ao texto principal do projeto proposto pelo deputado Arthur Oliveira.

Em entrevista realizada no dia 15 de maio, o atual presidente da República, Michel Temer, explicou que para alcançar os 308 votos necessários para que a reforma da Previdência seja encaminhada ao plenário, o ideal é garantir, no Palácio do Planalto, o mínimo de 320 votos favoráveis a proposta. Segundo suas informações, a proposta será encaminhada por ele quando houver a certeza de conseguir o número de votos para a aprovação. Estima-se que o governo tenha os votos necessários para a realização do primeiro turno do pleito entre a última semana de maio e a primeira de junho.

No decorrer da entrevista, Michel Temer foi questionado sobre as possíveis dificuldades em obter apoio para a PEC 287/16, sendo, que, talvez, o governo tenha “passado do ponto” ao apresentar uma proposta muito rígida. Além de responder que a proposta foi feita de acordo com o previsto e que já esperava objeções quanto ao teor da reforma, ainda relatou que o Congresso é quem decide se está de acordo ou não com a proposta. “Nós fizemos uma reforma que imaginávamos que pudesse perdurar por 30 anos”. Conforme seu ponto de vista, é preferível a aprovação de uma proposta que gere a economia de aproximadamente R$600 bilhões do que não haver economia alguma.

Trâmite da reforma da Previdência

Após a Comissão de Constituição e Justiça analisar os critérios técnicos necessários no texto, o teor da proposta é submetido à avaliação de uma Comissão especial criada pela Câmara para a realização de análise especifica do conteúdo exposto.

Uma vez aprovada pela Câmara, a PEC é encaminhada ao Senado para votação no plenário dividida em dois turnos, onde necessitará de, no mínimo, 308 votos a favor, em cada turno, para alcançar a aprovação. Em seguida passará pela Comissão de Constituição e Justiça para análise técnica e geral da proposta. Para finalizar passará por novo pleito no plenário dividido em mais dois turnos, onde, desta vez, precisará de, no mínimo, 49 votos favoráveis em cada votação.

Se o texto apresentado for aprovado, a reforma se tornará oficial. Em caso de alterações realizadas pelo Senado, a PEC deverá retornar a Câmara e reiniciar todo o processo.

 

Mulher afirma que sofreu derrame após tomar pílula anticoncepcional

 

Resultado de imagem para pílula anticoncepcional

A mulher, que é mãe de duas crianças, sofreu um acidente vascular cerebral após tomar a pílula anticoncepcional por um pouco mais de um ano, assim dizem os médicos. Natalie Trickett, de repente caiu e perdeu a sensação no lado direito de seu rosto e perdeu a visão. Os médicos revelaram que seu acidente vascular cerebral foi desencadeado por tomar a pílula Microgynon.

Natalie, que estava saudável e competiu em competições crossfit, disse: “Até você ter sido uma vítima de um acidente vascular cerebral, você não percebe o risco de tomar pílulas anticoncepcionais.”

Natalie, que vive perto de Preston, disse que percebeu pela primeira vez que algo estava errado quando ela começou a perder o sentido no lado direito de seu rosto. Ela então se lembra de não ser capaz de sentir seus lábios em tudo, e então começou a alucinar.

Quando desceu para preparar o café da manhã para seus dois filhos e marido, Natalie entrou em colapso. Sua mãe a levou para o hospital, que disse a Natalie que provavelmente era uma enxaqueca e a enviou de volta para casa com comprimidos. O hospital também aconselhou que Natalie passasse por um teste ocular. Mas, durante o teste, um médico do Hospital Burnley viu que a mãe de dois tinha sofrido um acidente vascular cerebral.

Natalie, que agora tem 32 anos, disse: “Fiquei tão chocada que entrei em pânico e desmaiei, e tudo ficou borrado”. Ela afirmou que especialistas do Royal Blackburn Hospital, disseram que o derrame poderia ter sido causado pela pílula anticoncepcional.

Natalie, que é mãe de Luke, de nove anos e de Logan de oito, disse: “Eu estava tomando a pílula contraceptiva Microgynon na época por cerca de um ano”. “Não havia outra razão para eu sofrer um derrame em uma idade tão jovem”. “Eu não bebo ou fumo e eles verificaram meu coração e tudo estava bem.”

Natalie disse que apesar de sua visão periférica, ela fez uma boa recuperação e se considera muito sortuda. Ela disse: “Eu tenho pontos em branco na minha visão e eu não posso fazer coisas como jogar tênis mais porque eu não posso ver a bola adequadamente”. “Eu também tive que refazer o meu teste de condução e estava determinada a passar novamente.”

Natalie, que cuida de seu filho Luke, que tem deficiências, agora está esperando para voltar à universidade para obter um diploma e se tornar uma assistente de ensino. Ela disse que quer conscientizar as pessoas de que os derrames são um efeito colateral real da pílula anticoncepcional e sobre o impacto devastador que um acidente vascular cerebral pode fazer em uma pessoa.

Ela disse: “Eu não acho que há consciência suficiente ou informações sobre os efeitos colaterais da pílula e como ela pode causar um acidente vascular cerebral e que um acidente vascular cerebral pode mudar a sua vida. “As pessoas assumem que os acidentes vasculares cerebrais só acontecem com as pessoas mais velhas com mais de 50 anos e eu provavelmente pensei o mesmo antes de acontecer comigo.”

 

Yukuta Toyota desenhou as obras de arte do Hospital Copa Star

O artista brasileiro com descendência japonesa, Yukuta Toyota foi o escolhido para projetar as obras de arte que estão distribuídas pelo novo hospital da Rede D’Or no Rio de janeiro, mais precisamente na zona de Copacabana. O artista que nasceu em 1931 e que se naturalizou brasileiro em 1968 é mais uma das razões pelas quais o Hospital Copa Star se tornou uma referência para os complexos contemporâneos. O Hospital Copa Star foi um desejo antigo dos sócios da Rede D’Or que pretendiam renovar um antigo complexo hoteleiro e torna-lo num novo complexo hospitalar revolucionário no Brasil, no que diz respeito ao atendimento, nos novos métodos como os seus pacientes são tratados, nos vários equipamentos de tecnologia de ponta disponíveis para examinar os seus clientes (inclusive com auxílio de medicina robótica, centros cirúrgicos de última geração), na comodidade dos seus clientes (quartos automatizados e disponíveis para terem algumas componentes personalizadas pelo cliente, etc. O paciente também tem ao seu dispor uma gama variada de refeições no restaurante, que podem ir dos mais tradicionais até aos mais requintados.

O Hospital Copa Star também pretende ser revolucionário pelo seu estilo arrojado e luxuoso. Para dar esse ar, Yukuta Toyota teve um papel essencial uma vez que todas as obras de arte são projetos desenhados e concebidos por ele. Assim, os arquitetos tiveram em conta várias caraterísticas que tornaram cada espaço do hotel único no país. A título de exemplo, a iluminação é natural, os corredores são espaçosos e minimalistas com aromas que afastam a ideia de que o paciente ou o acompanhante está a percorrer os espaços de um hotel. Ao longo dos corredores e halls do complexo hospitalar podemos observar mais de duas centenas de obras de arte do autor de dupla nacionalidade brasileira e japonesa, com o objetivo de criar um ambiente agradável, simples e confortável para os clientes.

Yukuta Toyota estudou Desenho industrial na Universidade de Arte de Tóquio e veio para o Brasil para trabalhar em São Paulo, numa fábrica que fabricava móveis. Yukuta sempre foi um artista que sempre teve um interesse pelo “espaço cósmico” e daí a sua inclinação para obras de arte voltadas para essa temática. Nas obras de arte em redor do Hospital Copa Star encontramos vários tipos de materiais nas suas obras de arte como o aço, tintas ou madeiras. As obras transmitem a inigualável identidade de Yukuta Toyota que acrescenta nas suas obras de arte ilusões de ótica e paradoxos entre os vários materiais que utiliza.

Para além das mais de 100 esculturas e monumentos produzidos para espaços públicos brasileiros, o artista que desenhou as obras de arte do Hospital Copa Star conta também com uma larga e experiente carreira internacional, que teve início em Buenos Aires e que a fama logo o arrastou para outros países como os Estados Unidos da América ou até mesmo o seu próprio país, o Japão. O artista também conta no seu currículo com vários prémios e reconhecimentos do seu trabalho como é o caso 1º Salão Esso de Jovens Artistas

 

Aumento na produção de grãos no Brasil

Resultado de imagem para Aumento na produção de grãos no Brasil

No Brasil, o estado do Mato Grosso deve, este ano, ficar com 25,3% da produção do país. Esses dados foram levantados pelo IBGE, em Cuiabá.

Dados do IBGE apontam que pela sexta vez seguida, um aumento na previsão das colheitas  de grãos para esse ano , chegando a uma supersafra de 230,3 milhões de toneladas, o que significa um aumento de 25,1% em comparação ao ano anterior. Esses números da produção agrícola, vão ajudar na melhora da economia do Brasil.

Em estimativas feitas no final do ano passado para esse ano, foram previstos aumentos de 13,9% e no início desse ano, passou a ser de 21,8% maior do que no ano passado. A safra de 2016 chegou a 184 milhões de toneladas de grãos.

Tendo como maiores produções do país o arroz, a soja e o milho, somados vão totalizar 93,5 % de tudo o que foi produzido. O maior produtor do país continuará sendo o estado do Mato Grosso, com 25,3%, em segundo vem o estado do Paraná com 18,3% e em terceiro o estado do Rio Grande do Sul, com 14,8%.

As áreas plantadas esse ano, vão chegar a 60,7 milhões de hectares, são os dados estimados pelo Levantamento Sistemático da Produção Agrícola, tendo se observado um aumento de 6,3% a mais do que no ano passado.

O aumento desses dados da produtividade do país, para o IBGE, tem como fatores principais as condições do clima nas áreas de plantio, a partir do mês de outubro passado. Outro fator que conta para esse aumento, foram os investimentos feitos por parte dos produtores em tecnologia.

Os números da safra recorde no país, estão confirmadas em relação a soja, são estimadas um total de 110,9 milhões de toneladas e ainda se espera mais crescimento. No Mato Grosso, os produtores são responsáveis por 27,9% de toda a soja colhida no Brasil.

As previsões da produção de milho também são favoráveis, com um número previsto de 92,3 milhões de toneladas para este ano, sendo 4,4% de aumento acima da previsão do último mês de fevereiro. Desse total, o chamado milho de segunda safra, conhecido como milho safrinha, vai ser de 62,1 milhões de toneladas e o de primeira safra, vai ser de 30,2 milhões de toneladas.

O Mato Grosso é o maior produtor de milho safrinha, com produção estimada esse ano de 24 toneladas, principalmente por ter aumentado a sua área de plantio em 10,3 %.

Na produção de arroz, o maior produtor do Brasil é o estado do Rio Grande do Sul, totalizando

70,9%, sendo a estimativa de março uma produção de 12 milhões de toneladas para esse ano. Segundo o IBGE, foram favoráveis as condições do tempo, que possibilitaram as colheitas feitas nas duas últimas semanas, de praticamente metade dos campos produzidos, o que equivale a 49%Aumento

 

Buscando o sucesso por linhas tortas

No auge do sucesso muitos artistas do ramo musical esbanjam a quantidade de riquezas adquiridas do dia para a noite, no entanto a trajetória para o sucesso apresenta curvas mais tortuosas para alguns.

O Brasil possui um forte mercado musical, e o principal produto de consumo da população são os gêneros de massa, músicas com letras rasas acompanhadas de um refrão chiclete. As músicas produzidas para uma grande massa com a intenção de sucesso imediato possuem um prazo de validade curto, sendo assim rapidamente substituída por outra com a mesma funcionalidade.

Em meio a essa indústria cultural, produzindo conteúdo com foco essencialmente no retorno financeiro, existem músicos acreditando na importância desse ramo artístico para o desenvolvimento humano. Artistas independentes surgem cada vez mais, principalmente devido a facilidade de distribuir conteúdo com o suporte de plataformas como o YouTube, entretanto para viver da música é necessário possuir visibilidade, e depois de investir tempo e dinheiro o sucesso ainda é algo incerto.

Mesmo diante de tantas adversidades no cenário algumas bandas independentes conseguiram seu lugar ao sol, como é o caso de Supercombo, Maglore, Far From Alaska, Scalene, dentre outras bandas do cenário alternativo.

O cenário independente é tão vasto que existe um público voltado apenas para esse gênero musical. Como o objetivo da banda não é o consumo por um grande público, muitos arriscam um som experimental, letras ousadas, e até investem em temas pouco explorados pela indústria cultural.

Um cantor independente que foi capaz de atingir o sucesso após anos de trabalho, e depois de muito conteúdo produzido é o Criolo. Anteriormente conhecido como Criolo Doido, começou a produzir conteúdo em 1989 e permaneceu desconhecido até meados de 2000, apesar de possuir reconhecimento regional não havia obtido o sucesso desejado. Criolo é responsável pelo reconhecimento do rap no cenário musical brasileiro, no entanto suas músicas vão além do rap e transitam nos mais variados gêneros como é o caso do álbum Nó na Orelha (2011) que foi considerado o melhor álbum do ano em 2011 pela revista Rolling Stone.

Aos trancos e barrancos o cenário musical brasileiro vai tomando uma nova forma graças a produção de música independente, e no fim, mesmo que muitas bandas encerem suas atividades muito antes de atingirem a fama, elas são responsáveis por produzir um grande acervo de conteúdo musical.

 

 

 

Aplicativo do grupo jornalístico RBS de Duda Melzer, permite público apontar falhas nas cidades

A população gaúcha acabou de receber uma nova maneira de interagir com o meio jornalístico de sua região e ajudar a pautar situações de seu cotidiano no jornalismo do Rio Grande do Sul. Isso é possível graças a criação de um aplicativo de utilidade pública, que acabou de ser lançado, produzido em parceria pelas três empresas midiáticas do grupo RBS, que tem por presidente Duda Melzer.
O aplicativo “Pelas Ruas”, criado em parceria pelas empresas RBS TV, o jornal Zero Hora e a Rádio Gaúcha, todas elas pertencentes ao grupo de Duda Melzer, é uma iniciativa que pretende fazer valer o propósito do grupo que é “informar para transformar.”
O aplicativo Pelas Ruas
Através do aplicativo “Pelas Ruas”, o público gaúcho poderá através de fotos e pequenas descrições nas mesmas, apontar problemas e situações ocorridas no Rio Grande do Sul, para que através delas as empresas do grupo RBS de Duda Melzer possam criar pautas sobre os problemas e fatos ocorridos no estado.
Inicialmente o aplicativo lançado em 23 de março visa que o público aponte falhas de determinadas regiões, essas informações poderão ser usadas para indagar de forma mais direta e concisa o poder público, assim como deixa-lo ativamente ciente sobre as necessidades estruturais do povo gaúcho. Além de permitir que o poder público tenha uma visão mais palpável de suas falhas. É uma grande ferramenta tanto para o governo quanto para o público.
Utilizando o aplicativo
O aplicativo é gratuito e está disponível tanto para a plataforma android (6.0), quanto para a iOS (9.0), cada versão disponível na loja de aplicativos de cada plataforma, play store ou app store.
Utilizando cadastro básico, ou acesso integrado via login no facebook. As fotos tiradas utilizando o próprio aplicativo, podem ser enviadas logo em seguida ou então salvas na galeria de fotos, mas ao enviar o público deverá dar uma breve descrição escrita e então marcar a localização via gps; caso o internauta não esteja no local da ocorrência da foto no momento em que pretende envia-la, poderá ainda assim marcar a localização dela no mapa do aplicativo, o importante é marcar o lugar correto.
No entanto o envio das fotos, não implica que todas sejam utilizadas pelo jornalismo da RBS, de Duda Melzer. As fotos passarão por administradores do aplicativo, que irão escolher pela relevância, qualidade e outros critérios, se a foto se enquadra nos critérios de publicação.
Tendo sua postagem aprovada, o autor será notificado, e sempre que algum outro usuário comentar sobre a postagem, também será alertado via o aplicativo “Pelas Rua”.
O aplicativo do grupo RBS de Duda Melzer é um exemplo do chamado jornalismo integrativo, que pode se tornar tendência no futuro, onde o público tem maior influência inclusive na construção de pautas e voz mais ativa nas notícias de sua região. Isso é visto como parte da quebra do unilateralismo das mídias tradicionais, assim como já vem sendo feito aos poucos devido à internet e mídias sociais disponíveis nela.
E o grupo RBS se mostra aberto a essa nova tendência e a escutar o seu público.

 

Se diferentes ou bizarros o que vale é a diversão

Corrida das galinhas, festival dos jericos, maior comilão de banana da região. Imaginação é o que não falta quando o assunto se trata de diversão. O ser humano é tão criativo, mais tão criativo que consegue fazer graça e tirar proveito de tudo.

De repente, da simples observação de uma situação corriqueira do dia a dia aparece a mais nova sensação do momento. Ou mesmo uma oportunidade de negócio que pode beneficiar a um só tempo diferentes pessoas.

Quem sabe se a corrida das galinhas, de uma pequena cidade do interior pernambucano, não surgiu da cabeça de algum curioso que, num momento qualquer do dia, parou para observar um grupo de meninos que por pura brincadeira tangia um bando de galinhas.

Ou se alguma das competições de carrinho sem motor, realizadas em tantas regiões do mundo, não partiu da ideia de um apaixonado por carrinhos de rolimã, que resolveu adaptar a brincadeira de criança para uma versão mais adulta.

Tendo a ideia surgido ou não de uma brincadeira de criança, a verdade é que a maioria dessas competições fazem a alegria de muitos dos competidores, assim como também dos vários espectadores que adoram acompanhar de perto uma oportunidade de diversão. Além do mais, tais competições podem ser bastante lucrativas.

Sobre essa questão da lucratividade, as competições, muitas das vezes, significam bons rendimentos financeiros para as localidades e/ou regiões onde acontecem. Já que, para muitas cidades tornam-se o período de maior movimentação comercial e também de grande circulação de visitantes.

É comum com o passar do tempo, alguns torneios e competições de limitado alcance se transformarem em grandes eventos. Assim sendo, até ficam conhecidos nacionalmente. O que faz com que o evento seja bem mais procurado do que antes.

Entretanto, há diversas competições que chamam a atenção da impressa e das mídias sociais não pelo alto grau de competitividade ou pelos altos valores das premiações, mas sim pelos aspectos curiosos e até mesmo bizarros de suas provas.

E as ocasiões não faltam para quem quiser ver pessoalmente alguns eventos curiosos. Em Gloucestershire, na Inglaterra, há a competição da Rolagem do queijo. Também na Inglaterra, outra atração bastante curiosa é a do Chute na canela. Já na Finlândia, periodicamente acontece a competição do Carregamento de esposa.

Uma competição que até pode ser considerada um tanto quanto controversa é a do choro dos bebês. Realizada anualmente no Japão, a disputa consiste em acompanhar qual dos bebês consegue ficar chorando por um período mais longo.

No entanto, para quem é do Brasil, nem precisa ir tão longe para se divertir com algumas das mais curiosas competições do planeta. Pois frequentemente são realizadas nas diferentes regiões do país.