Foram encontradas em Montreal diversas cavernas milenares formadas na idade do gelo

Alguns exploradores acharam diversas cavernas milenares que estavam escondidas sob a cidade de Montreal, no Canadá. São estruturas que possuem mais de quinze mil anos, formadas no período glacial. Esse conjunto de cavernas estão conectadas com a caverna de Saint-Léonard e o acesso possui duzentos metros de extensão, com seis metros de altura, sendo que a travessia em alguns pontos somente pode ser realizada de barco.

Depois de anos tentando encontrar essas estruturas, os exploradores que localizaram essas cavernas foram Daniel Caron e Luc Le Blanc. Durante muitos anos, os integrantes da Sociedade Espeleológica, da cidade de Québec, achavam que podia existir outras cavernas conectadas à caverna de Saint-Léonard, em Montreal. Mas a sua localização exata não era conhecida pelos pesquisadores.

Mas os dois exploradores após 2014, utilizaram um pêndulo para ajudar nas explorações com funções de radioestesia, e com o auxílio do aparelho eles começaram a ter uma ideia da localização das cavernas, depois que o pêndulo apontou para uma diminuta rachadura no solo.

Apesar de ser somente uma estreita rachadura, deu aos dois exploradores uma pequena esperança de encontrar as cavernas. Foi somente depois de um ano que eles conseguiram com uma câmera no pêndulo, fazer imagens no interior das cavernas.

Mas foram necessários mais dois anos, para que os pesquisadores conseguissem um local ideal para ser escavado. Apresentando características parecidas nas suas formações com as da Caverna Saint-Léonard, com os  deslocamentos das placas tectônicas  sendo as responsáveis pelas formações das cavernas no período glacial. Com a ameaça que a geleira apresentava em cima das estruturas, o túnel acabou enfraquecido pelo peso do gelo, e o caminho pode ser feito pelos pesquisadores, que conseguiram atravessar a passagem de rocha calcária.

Os pesquisadores utilizaram somente uma broca, um cinzel e um martelo, para conseguir fazer um buraco para enxergar algo além da fissura.

Mas tudo isso era apenas o começo, já que depois eles levaram uma escada para o buraco, que permitiu a passagem dos pesquisadores para explorar as cavernas. Em seguida, eles chegaram em um muro de pedra e precisaram superar mais esse obstáculo, precisando do auxílio de uma corda. Depois que eles conseguiram atravessar o muro, o caminho continuou descendo e eles chegaram no aquífero. Nesse local o teto estava abaixado e a água apresentava uma grande profundidade, que foi quando eles precisaram voltar e descer novamente com um barco inflável, para que pudessem continuar a exploração.

Os pesquisadores já conseguiram explorar 150 metros da galeria subterrânea, mas antes eles fizeram um estudo para saber se existiam algumas casas em cima das cavernas que podiam ser danificadas pela exploração delas.

 

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *