Estratégia de marketing foge do controle com Nutella 70% mais barato

Uma ação de marketing realizada pelo Burger King nos Estados Unidos, tentou explicar aos seus consumidores o que significa a abordagem de neutralidade da rede. A ação promovida pela rede de fast food nos Estados Unidos evidenciou que muitos cidadãos do país desconhecem o que significa o termo de neutralidade da rede que está sendo amplamente discutido no país atualmente.

O vídeo gravado pela própria empresa mostra um novo cardápio da rede com as opções de seu famoso lanche, o Whoopper, sendo oferecido em três diferentes formas. A primeira opção fazia o cliente esperar mais tempo para conseguir seu Whoopper a um preço justo; a segunda opção tinha um tempo de espera moderado e um preço um pouco mais alto; já a terceira opção, garantia um Whoopper imediatamente, mas a um custo maior.

Essa foi a forma como a empresa Burger King tentou explicar aos seus consumidores a relação da neutralidade da rede, que foi definida pela Comissão Federal de Comunicações dos Estados Unidos (um órgão parecido com a Anatel no Brasil), que as operadoras de banda larga do país poderão moderar o tráfego de internet como elas quiserem.

Isso significa que nos Estados Unidos, as empresas que operarem banda larga no país poderão cobrar mais caro para fornecer uma internet de maior velocidade e qualidade. Já os planos mais baratos de internet, poderão ser oferecidos com uma redução da qualidade e da velocidade em todo o país. Essa nova abordagem é chamada de neutralidade da rede nos Estados Unidos, onde para se ter o melhor é preciso pagar mais caro, fazendo com que os planos baratos sejam de péssima qualidade.

Pensando nessa decisão, a rede de fast food famosa quis demonstrar como seria utilizar essa abordagem no cotidiano, como nas vendas de seus lanches. Para que tudo ficasse mais interativo possível, o cartaz elaborado pela Burger King continha informações sobre MBPS de cada lanche, classificando as opções como Slow MBPS, Fast MBPS e Hyperfast MBPS, que quer dizer devagar, rápido e hiper-rápido, cada uma das opções com preços diferentes.

Essa experiência feita pela Burger King em prol da descontinuação da neutralidade da rede é de autoria da agência de publicidade David Miami, que acabou por irritar muitos clientes ao sentir na pele o que seria viver a neutralidade nas vendas do Whoopper.

No vídeo que foi divulgado na internet, a empresa diz a seguinte frase se posicionando entre a decisão do órgão americano: “Nós acreditamos que a internet deve ser como os restaurantes do Burger King, um lugar que não prioriza e recebe todos”.

Microsoft quer que clientes descartem o Windows 7, migrando para Windows 10

A Microsoft revelou no início de agosto de 2018 que teve o seu terceiro mês consecutivo de aumento por clientes que adquiriram o Windows 10.

A empresa tem feito notícias e campanhas online para que os seus clientes migrem para o novo software, principalmente os usuários do Windows 7, uma vez que esse ficara sem suporte a partir de 2020.

Um sistema operacional sem suporte não recebe atualizações. Sem atualizações podem acontecer falhes de segurança, facilitando, entre outras coisas a invasão dos computadores por hackers.

Em julho, o aumento foi de quase 1% o que significa que pouco mais de 40% dos computadores particulares e privados que utilizam os sistemas operacionais da empresa estão utilizando o Windows 10.

Por outro lado, o Windows 7 caiu quase 0,5%, mais um comprovante que os usuários estão de fato fazendo a migração. Mesmo assim, o uso de computadores com o sistema operacional da Microsoft ainda é de aproximadamente 45%, sendo ainda maior que os que utilizam o Windows 10.

Se essa queda no Windows 7 e crescimento do Windows 10 se mantiver, a estimativa é que no início de 2020, quando a Microsoft deixar de prestar atendimento para a versão 7, ainda serão cerca de 35% de usuários utilizando o software.

Já a versão 10 do software estará em aproximadamente 59% dos usuários.

Notícias que tem circulado pela internet, dizem que a empresa está tentando com força aumentar a utilização do Windows 10. Uma dessas formas é impedindo que aparelhos comprados novos, só saiam da fábrica com a versão 10 do Windows.

Um dos motivos para essa forte campanha que eles estão fazendo, é que eles precisam ganhar dinheiro com as assinaturas da versão mais recente do software, já que quando o suporte para a outra versão terminar, eles não poderão mais cobrar pelas assinaturas.

Assim eles também podem monetizar melhor os outros recursos vendidos para essa versão do Windows, o que o torna mais rentável a longo prazo.

 

E você, prefere o Windows 7 ou o 10? Não esqueça de compartilhar em suas redes sociais.

Falta de chuvas mantém conta de luz mais cara em agosto

Conforme divulgado pelo diretor da ONS (Operador Nacional do Sistema Elétrico), Luís Eduardo Barata, a parcela de tarifas da conta de luz continuará elevada no mês de agosto, seguindo a tendência do mês anterior. O motivo da alta nos valores do serviço, de acordo com a instituição, é a falta de chuva no período do ano, além de outras adversidades climáticas que encarecem o fornecimento do serviço.

De acordo com o previsto na bandeira vermelha, haverá um custo adicional a cada 100 kWh (quilowatts-hora) na conta dos usuários, no valor de R$ 5. A notícia da ONS pela permanência da tarifa explica que as condições meteorológicas negativas demandam manutenções específicas e frequentes. Além disso, a queda no nível de armazenamento dos reservatórios do SIN (Sistema Interligado Nacional) é outro fator agravante para o fornecimento de energia.

Segundo Luís Barata, a bandeira vermelha de agosto é necessária diante do cenário desfavorável, e ela deverá se manter até o término do período seco. A tendência é a situação permanecer assim até que as adversidades hidrológicas terminem, com a volta das chuvas.

Entretanto, Luís Barata descartou qualquer possibilidade de interrupção no abastecimento durante o período. Apesar do valor salgado, os serviços de energia continuarão sendo fornecidos normalmente, e a recomendação aos usuários é para reduzir o seu consumo . Com disciplina e com um uso racionado de energia, a conta de luz estará menor no fim do mês.

O diretor da ONS explicou que o fenômeno natural que acarretou o problema da seca, o El Niño, também trará a solução para o fim do problema hidrológico. Com a previsão e as notícias de chuva para o sul do país, aguardada ansiosamente pelos especialistas, a melhora nos serviços elétricos da região será resolvida naturalmente.

Luís Barata ainda destacou que a Região Nordeste tem contribuído fortemente para a manutenção do fornecimento elétrico nacional. Favorecidas pela temporada de ventos fortes do Nordeste, as usinas eólicas estão no seu ponto alto de produção, tendência que deve se manter pelos próximos dois meses. Somadas às usinas térmicas, as usinas eólicas têm garantido o fornecimento não só para os setores próximos ao Nordeste, mas também exportando o excedente pelo Sistema Interligado Nacional.

Empresa desenvolve estudo do trabalho freelancer no Brasil

De acordo com o Relatório de Trabalho Independente e Empreendimento 2018, estudo conduzido pela Workana mostra que 63% dos profissionais têm interesse em se tornar empreendedores. Um dos meios utilizados para esse fim é o trabalho freelancer, conciliando assim o tempo livre para o empreendedorismo.

Esse panorama mostra que as mais pessoas buscam a alternativa por conta da possibilidade de trabalhar em casa, flexibilidade de horário, maiores ganhos, entre outros benefícios. Em conjunto com o surgimento de plataformas que fazem a ponte entre cliente e freelancer, o crescimento da categoria foi de 80% em 2017.

Segundo o estudo, 25% dos empreendedores inovam em suas habilidades e apresentam projetos adequados à sua nova realidade; 15% desses profissionais já possuem mais de um tipo de especialização em sua área de atuação.

Diferenciais para a área

A pesquisa também analisou as habilidades para ter sucesso no segmento. 50% dos entrevistados acreditam que são conhecimentos em Tecnologia da Informação (TI); 30% acreditam que são outros idiomas e 15% em comunicação/ marketing.

50% das empresas entrevistadas oferecem algum benefício do horário flexível; 20% desejam que seus funcionários sigam um plano de carreira. O cofundador da Workana, Guillermo Bracciaforte, afirmou que as mudanças influenciam como as empresas enxergam a prática do freelancer. Para ele as empresas buscam profissionais que tenham liberdade e autonomia para tomar decisões e dar boas sugestões.

As empresas que recorrem aos freelancers se beneficiam com custos fixos reduzidos, possibilidade de contratação de acordo com a demanda ou para projetos específicos. As corporações já entendem que essa é a realidade e muitas delas já buscam formas de se adaptarem. Entre elas estão plano de carreira tanto para funcionários contratados no regime de CLT quanto para os que atuam na modalidade freelancer.

“O que vemos para os próximos anos é um crescimento ainda maior da modalidade freelance, para que as pessoas consigam crescer cada vez profissionalmente”, conclui Guillermo Bracciaforte.