Exames de sangue podem prevê Alzheimer com três anos de antecedência

Cientistas da Universidade de Georgetown localiza na cidade de Washington nos Estados Unidos, realizaram estudos sobre a descoberta da Doença de Alzheimer por exames de sangue. Howard Federoff liderou os trabalhos de pesquisa, que se basearam nos níveis de 10 metabólitos lipídicos. A descoberta foi publicada na Nature Medicine.

A doença de Alzheimer é uma doença degenerativa do sistema cerebral que afeta pessoas de mais idade. Funções do cérebro como memória, raciocínio e comportamento são comprometidas de forma lentamente, porem progressiva, resultando o paciente a uma dependência para realizar suas atividades diárias da vida. É um processo totalmente diferente do envelhecimento cerebral natural decorrente do tempo, pois neste ocorre alterações patológicas no tecido cerebral, tais como deposição de proteínas anormais e morte celular.

O estudo de Howard Federoff acompanhou 525 pessoas com idades superiores há 70 anos em um período de cinco anos. Constatou-se que em diversas verificações, as pessoas que desenvolveram quadro de Alzheimer ou problemas cognitivos de baixa relevância, tinham níveis mais escassos destes 10 fosfolipídios. A doença de Alzheimer é a primeira doença neurodegenerativa. Pesquisas estimam que a doença afete a saúde cerebral de pelo menos 35,6 milhões de pessoas no mundo, sendo estimado 1,2 milhão apenas no Brasil, segundo dados da Associação Brasileira de Alzheimer (Abraz). Por enquanto, a análise desses estudos, ainda não tem aplicações médicas, uma vez que ainda não há cura para a doença de Alzheimer no mundo. Contamos apenas com alguns tratamentos e terapias que por vez tentam manter e estabilizar as capacidades básicas de memória e mobilidade dos pacientes afetados. Também ainda não existem outros fatores de detecção. O diagnóstico é feito pelos sintomas da doença. Existem várias tentativas de se obter e chegar a um diagnóstico precoce medindo algumas proteínas do líquido cerebrospinal.

De certo modo, o estudo do sistema descrito é singelo e o que parece, bem concludente. Os Cientistas afirmam com clareza e em alto e bom tom de confiança, em tê-lo disponível em grande escala em um prazo de dois anos.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *