Fique por dentro sobre as origens do São Paulo Fashion Week, por Donata Meirelles

Assim que foi inaugurado, o Morumbi Fashion logo deu início ao evento que se tornou o mais importante em se tratando da moda brasileira. Donata Meirelles explica que, para se ter uma dimensão sobre a importância do São Paulo Fashion Week (SPFW), é possível compará-lo a outros memoráveis encontros de natureza fashion. Desse modo, o SPFW costuma ser classificado como o quinto mais relevante evento de moda. Seguindo, por exemplo, os que ocorrem em Paris, Nova York, assim como Milão e Londres.

 

 

Se no passado os lançamentos de moda no país ficavam mais restritos a clientes de alta classe, com a invenção do São Paulo Fashion Week esta se tornou conceitual, uma vez que o evento era aberto a um público bastante heterogêneo. O encontro de moda começou a receber estilistas com trabalhos peculiares, o que teria contribuído para uma maior liberdade de expressão por meio das peças que começaram a ser criadas. Dentre os nomes que mais se destacaram estão os de Ronaldo Fraga, Glória Coelho e Alexandre Herchcovitch.

 

 

O SPFW, conforme pontua a empresária brasileira, serviu tanto para a divulgação da própria moda, quanto para impulsionar carreiras e marcas. Com isso, grandes modelos puderam desfilar por lá, assim como estilistas de atual renome foram descobertos nas ocasiões em que ocorriam os desfiles. Até mesmo representantes da indústria cosmética conseguiram alavancar a venda de seus produtos por conta da semana de moda brasileira mais relevante do país.

 

 

 

Antes de se tornar São Paulo Fashion Week, houve um evento que é considerado o precursor do SPFW, idealizado por Paulo Borges, um produtor que já havia trabalhado em outros destacados eventos de moda no país. Os encontros fashion que ocorriam em solo brasileiro, principalmente no eixo Rio-São Paulo na década de 1.990, eram em sua maioria voltados à apresentação de estilistas, a fim de que estes se tornassem mais conhecidos do público. Já nesse último caso, o objetivo era fornecer espaço aos profissionais que já haviam mostrado seus trabalhos, destaca Donata Meirelles.

 

 

No ano de 2.000 houve uma espécie de encerramento de alguns outros eventos de moda que ocorriam no Morumbi Fashion. Desse modo, logo no ano seguinte se iniciava o que viria a ser o maior encontro fashion nacional: o São Paulo Fashion Week. Grande parte dos estilista que passaram a exibir suas coleções no SPFW tiveram suas trajetórias marcadas por outras mostras que foram realizadas no mesmo local, mas com outras denominações. Após sua inauguração, algumas modificações puderam ser observadas, analisa a empresária.

 

 

Assim que a São Paulo Fashion Week começou a ser adotada anualmente, criou-se uma espécie de calendário de moda no país. Isso fez com que o setor têxtil nacional ganhasse maior visibilidade também no exterior. Houve grande contribuição de natureza econômica, ressalta Donata Meirelles, uma vez que tal segmento passou a contar com um maior número de estilistas, favorecendo toda a cadeia de produção.

 

 

A empresária relata que a trajetória da SPFW não foi algo fácil. Muitos revezes ocorreram, de modo que todos foram superados com o passar do tempo. As denominações para o evento foram se modificando ao longo dos anos, mas algo que permaneceu inalterado foi o comando da produção do encontro, que sempre ficou a cargo de Paulo Borges. Para se ter ideia da dimensão do evento, é válido ressaltar que este já é tido como o maior da América Latina, sendo também um dos mais expressivos do mundo.

 

 

Anualmente, o SPFW consegue reunir um público de cerca de 1 milhão de pessoas. Ao todo, estima-se que mais de 350 modelos desfilem pelo local. Os investimentos para que o evento ocorra são vultosos, já que R$ 5 milhões são empregados para que a semana de moda tenha seu brilho peculiar, noticia a empreendedora brasileira. Há um único estilista que participou de todas as edições do encontro. Donata informa que trata-se de Alexandre Herchcovitch.

 

 

Nos dias atuais o evento impressiona por suas proporções gigantescas. No início, entretanto, havia um público modesto, formado por cerca de 300 pessoas. A quantidade de desfiles realizada inicialmente também era pequena, se comparada com o cenário atual, já que ocorriam apenas quatro por dia. A questão da sustentabilidade sempre foi exposta no evento. Uma das ocasiões mais emblemáticas foi quando a estilista Glória Coelho expôs 120 painéis como maneira de incentivar práticas sustentáveis.

Como planejar uma estratégia de seo

Como ser o primeiro nos motores de busca? Posso subir uma posição no Google e conquistar a primeira posição? Talvez não haja truques e segredos. Mas você pode aproveitar essas dicas de SEO.

Eu vejo o planejamento de SEO como uma mistura entre o cumprimento de regras mais ou menos fixas e a observação de parâmetros específicos do caso individual. Resumindo o conceito, eu diria que é baseado em uma variabilidade substancial e perturbadora de todos os fatores.

Planejamento de SEO – Aponte para o posicionamento do site e das notícias. Não posso ter certeza de que essas dicas de SEO são a solução definitiva para melhorar o ranking do Google sob quaisquer circunstâncias. Mas eles representam um bom ponto de referência no qual basear os trabalhos de otimização para uma otimização mais articulada e específica do mecanismo de busca.

Melhore seu planejamento de SEO – O conteúdo é rei, esta é a regra básica. A melhor maneira de obter vantagem dos mecanismos de pesquisa e boas ligações de entrada, com classificações relativas do Google, é escrever textos realmente válidos. Mas vou lhe contar mais: a perspectiva mudou.

Primeiro, a história foi a de publicar texto, o valor agregado para comunicar ao Google a presença de qualidade. O rastreador lê o texto e toma uma decisão com relação ao seu planejamento de SEO, mas esse não é mais o caso: sua meta não é inflar as páginas do texto, mas dar às pessoas o que elas precisam.

E você tem que fazer isso da melhor maneira possível, eliminando a redundância e secando as páginas do texto que pode ser supérfluo. De fato, trabalhar para satisfazer as perguntas da melhor maneira possível: talvez através de vídeos, imagens e gráficos. Para ser o primeiro nos motores de busca, não basta repetir a palavra-chave, trabalhar com sinônimos ou escrever. Saia dos padrões que tendem a simplificar a estratégia de SEO.

Você quer ser encontrado para mais pesquisas? Abra um blog e comece a postar para que as pessoas encontrem você que precisa da sua ajuda. Este é o marketing de entrada, e o planejamento de SEO é parte integrante dessa dinâmica. Mas, para ser eficaz, você precisa fazer uma boa pesquisa de palavras-chave.

Dicas para gerenciar uma crise de mídia social

Ligue as notícias, navegue pelo Twitter ou converse com um amigo nos dias de hoje, e você provavelmente ouvirá falar de outra marca ou indivíduo sofrendo outra crise induzida pela mídia social de algum tipo.

Parece que todo dia, a cada hora, há algum outro desastre nas mídias sociais. Isso significa que, de repente, as marcas estão se comportando de maneira mais deficiente, ou esse é o estado de como vivemos agora?

Sabemos que o principal poder das mídias sociais é a amplificação, e isso significa que boas e más notícias são histórias mais amplamente compartilhadas do que nunca. E admita – quando você vê uma marca sofrendo a ira de tweetstorms, é difícil desviar o olhar. De tweets insípidos a imagens compartilhadas no Facebook que nunca deveriam ter sido criadas, e muito menos postadas em nossa página de fast-food favorita, o gerenciamento de crises na mídia social nunca foi tão importante. Agora é mais um “quando” do que uma “crise”, se vai acontecer – e você sabe o que dizem, “Se você não planeja, planeja fracassar”.

Crie uma política de mídia social – Certifique-se de ter uma política de mídia social documentada. Quando você tem orientações claras para seus funcionários sobre o que postar – e o que nunca deve considerar postar – você diminui o risco de alguém ser desonesto e enviar seus perfis de mídia social para um problema.

Ouça os problemas de captura no início – Utilize a escuta social para superar possíveis problemas. Feita bem e de forma consistente, a escuta social pode ajudar a evitar que as questões se transformem em crises completas.

Ao ouvir atentamente, você pode avaliar como as pessoas estão se sentindo em relação à sua marca e, com o tempo, você entenderá a diferença entre resmungos e uma mudança significativa no sentimento em relação à sua empresa. Se de repente você vir um aumento acentuado nas menções da marca, você notará isso imediatamente também.

Estabelecer um Plano de Comunicações de Crise – Ter isso antes de você precisar, permitirá que você responda rapidamente, antes que algo saia do controle. A chave para administrar uma crise na mídia social é a pontualidade – sua meta deve ser responder dentro de uma hora após a crise ser disseminada.

Tendências de Marketing Digital para 2019

Embora a maneira como as empresas usaram campanhas de marketing ao longo dos anos tenha mudado, as razões não mudaram. Toda empresa quer alcançar seu cliente ideal exatamente quando esse cliente precisa. Com o fluxo constante de novas tecnologias, a maneira que as empresas precisam para alcançar esses clientes tem que evoluir para compensar a diferença.

Aqui estão tendências de marketing digital a considerar para sua estratégia de marketing e economia de 2019.

Marketing Omnichannel – O consumidor de hoje usa vários canais para pesquisar, comparar, comprar e interagir com as empresas. Estes podem ser canais on-line e off-line, e o último inclui seu próprio site, bem como Amazon, eBay, Facebook, etc.

O que é marketing omnichannel? O marketing Omnichannel é um tipo de marketing que conecta os pontos entre vários canais, garantindo uma experiência de usuário consistente e incentivando o consumidor a interagir com sua marca em todos os pontos de contato em vários canais.

O mais recente estudo de pesquisa oferece uma visão detalhada de como diferentes gerações de consumidores abordam as compras omnichannel, bem como o que elas esperam das marcas em toda a jornada do comprador.

Inteligência artificial (IA) é o ramo da ciência da computação que trata de ensinar a máquina a pensar e agir como um ser humano. Aprendizado de máquina geralmente é o que corre atrás de algoritmos de IA. Enquanto a IA basicamente trata de ensinar a máquina a substituir seres humanos, o aprendizado de máquina é ensinar à máquina o que um cérebro humano não pode compreender, por exemplo, mineração de dados complexa e previsões futuras baseadas em padrões atuais. Em muitos casos, o aprendizado de máquina e o AI são dois termos que são usados de forma intercambiável.

Uma das melhores maneiras de aproveitar o aprendizado de máquina agora é escolher um parceiro sólido que já tenha a tecnologia incorporada e funcionando em segundo plano.

A análise de sentimento com tecnologia AI é o exemplo mais poderoso de aprendizado de máquina em ação. O software de análise de sentimentos de hoje não apenas extrai menções que precisam de sua atenção, mas também pode ajudar sua equipe a lidar com elas adequadamente.

Tratamentos luxuosos de hotéis spa é para poucos

A correria do dia a dia exige um esforço considerável para cumprir as tarefas. Depois de uma semana intensa de trabalho, é necessário tirar um tempo para relaxar, para isso, existem spas com uma infraestrutura repleta de recursos. Para quem deseja se hospedar em um hotel  spa  para aproveitar uma boa estadia e tratamentos de relaxamentos, a escolha é boa para passar dias de bem estar.

No Rio de Janeiro, o spa que também é um hotel, fica no primeiro andar, o recinto tem uma lugar de massagem para casal e salas para uma pessoa. No catálogo de serviços, existem as massagens ayurvédicas por uma hora pelo valor de R$ 360, a massagem relaxante com duração de 50 minutos custa R$ 300, e a drenagem linfática manual é R$ 330 por 50 minutos. Mesmo para visitantes de fora dessa unidade do Fasano é possível usufruir dos serviços de spa. O local possui um clima mais reservado com todo o conforto que um lugar relaxante proporciona longe de más notícias.

No Ceará, o estado mais rico do Nordeste, um spa localizado em Aquiraz, é um reduto digno de quem busca um relaxamento em alto estilo. Localizado na região metropolitana do estado, em Aquiraz, o espaço tem 1.500 m² que oferecem desde tratamentos estéticos até banhos terapêuticos. Quem ama uma hidromassagem pode preparar a visita, que tem também banho turco, piscina aquecida, sauna seca, e tratamentos diversos, com pincéis, hidratação facial, banhos esfoliantes e drenagem linfática. Para usufruir dos mimos é preciso desembolar R$ 190, valor mais barato dos serviços do local.

No bairro famoso de Copacabana no Rio de Janeiro, existe um spa que um bom lugar para quem deseja se dar um presente. O ambiente e a decoração já demonstram que os serviços disponíveis são para poucos. A área de relaxamento tem três jacuzzis e equipamentos de alta tecnologia. Existe terapias diferenciadas, assim como o banho de cheiro brasileiro que são tratamentos até mesmo com uma sofisticação no último nível. Um tratamento de pele com manteiga hidratante, por exemplo, custa R$ 540. É para quem pode mesmo.

Pesquisa de palavras-chave – Primeiros passos

Projetos on-line comerciais geram receita por meio de transações de visitantes do website. O objetivo de um operador de website é, portanto, gerar visitantes e, no melhor dos casos, conquistá-los como clientes. O mecanismo de pesquisa desempenha um papel central e de extrema importância como o primeiro porto de escala na rede. Se você quiser ter sucesso com o seu site, você deve descobrir como os usuários pesquisam por conteúdo na Internet e quais são suas intenções. Você ganha essa informação através de pesquisa de palavras-chave. No entanto, o mero conhecimento de quais termos são procurados e com que frequência não permite que as vendas aumentem. O desafio principal é descobrir quais palavras-chave levam a leads e conversões e alinhar seu próprio projeto da Web como parte de uma otimização on-page apenas nesses termos de pesquisa.

Os proprietários de sites que desejam colocar proeminentemente seu projeto no mecanismo de pesquisa precisam de informações detalhadas sobre quais termos de pesquisa são relevantes para sua oferta on-line.

O que meu público está procurando na internet?

Quais palavras-chave estão associadas aos produtos, serviços ou informações no meu site?

E como estão os termos técnicos e os termos específicos do setor descritos pelos clientes em potencial.

Ao coletar e avaliar termos de pesquisa relevantes em listas de palavras-chave, essas perguntas podem ser respondidas. A pesquisa de termos de pesquisa é, portanto, uma etapa necessária em uma estratégia abrangente de palavras-chave. O objetivo dessa medida é identificar as palavras-chave relevantes com o maior volume de pesquisa para que você possa usar o mesmo para a otimização de mecanismo de pesquisa (SEO) de subpáginas individuais.

Enquanto a pesquisa clássica de palavras-chave se concentra em termos promocionais para impulsionar seus negócios produtos e serviços oferecidos em um site, a pesquisa holística de palavras-chave identifica todos os termos associados ao projeto que você está otimizando. Isso permite estratégias de conteúdo que não são exclusivamente destinadas à intenção de compra de clientes em potencial, mas também atingem o usuário que busca informações. Operadores de sites esperam aumentar a confiança do cliente e construir uma reputação como especialista em um tópico específico.

A nuvem pública: mais poder de computação para todos!

Disponível em qualquer lugar, espaço de armazenamento escalável e uma variedade de serviços: isso é computação em nuvem. Se você pensar em usar a nuvem, terá que escolher entre diferentes formas de implantação. Além disso, a busca é complicada pela abundância de provedores. Para usuários privados e empresas de médio porte, um serviço de nuvem pública pode ser apropriado. A nuvem pública oferece muitas vantagens, como o uso descomplicado e muito espaço para melhorias. Como esse espaço virtual contém dados confidenciais, deve-se examinar exatamente as diferentes ofertas e notícias. Porque em termos de proteção de dados, escalabilidade e valor pelo dinheiro, existem enormes diferenças.

A nuvem pública é um serviço que fornece serviços de TI publicamente pela Internet. Os provedores operam para grupos de servidores interconectados, os chamados farms de servidores. Como usuário, você geralmente acessa o espaço de armazenamento por meio de um navegador da web. O truque: você paga apenas o quanto reclama dos recursos.

Além disso, você economiza os custos de aquisição do hardware correspondente. Esse modelo de negócio torna a nuvem pública atraente para empresas jovens e de médio porte que desejam manter seu orçamento para TI baixo, por exemplo, para investir mais dinheiro em pesquisa ou crescimento. Os serviços de nuvem pública geralmente operam no princípio de autoatendimento. Se você precisar de mais recursos ou poder de computação, estará por conta própria.

Custos orientados pela demanda: cada cliente recebe seu próprio acesso à sua conta na nuvem. Lá você pode reservar serviços individuais de acordo com suas necessidades. Por exemplo, em vez de comprar muitas licenças de longo prazo, alugue um pacote CMS para todos os funcionários ou ferramentas gráficas apenas para designers ou alugue uma ferramenta de análise para seu aplicativo da web. O faturamento geralmente é baseado em demanda para serviços de nuvem pública. Isso os torna particularmente flexíveis e uma escolha adequada se você quiser acessar os aplicativos uma vez ou aumentar suas capacidades de servidor por um curto período de tempo.

Interface de usuário baseada na Web: você geralmente conduz seus negócios com o respectivo provedor por meio de uma interface de navegador. Na sua conta de cliente, você adiciona um serviço ou capacidades, paga ou cancela quando não precisa mais dos serviços. Você pode acessar o software assinado na nuvem pública por meio dessa interface do usuário. Então você precisa de hardware menos potente com muito armazenamento no local. Apenas a conexão com a Internet é crucial para saber se os serviços funcionam; o resto é assumido pelo respectivo provedor.

Indústria brasileira é apontada como uma das menos competitivas em estudo

A CNI (Confederação Nacional da Indústria) divulgou um novo levantamento onde os dados apontaram que a indústria brasileira ainda está em grande desvantagem quando comparados a seus maiores concorrentes. De acordo com as notícias, o setor industrial do Brasil só é mais competitivo que a indústria da Argentina.

A pesquisa realizada pela confederação considerou apenas os 18 países que mais se assemelham ao Brasil em relação a estrutura econômica adotada para a exportação. Sendo assim, os dados levantados mostram uma dimensão mais real de como está o setor industrial no Brasil. Já nas grandes pesquisas feitas por órgãos internacionais essas características não são levadas em conta, o que proporciona um resultado mais abrangente.

Dentre os países pesquisados pelo levantamento da CNI, a Coreia do Sul foi a economia que apresentou melhor desempenho em relação ao seu setor industrial. Logo em seguida apareceram o Canadá e a Austrália, como os países com melhor economia no quesito indústria.

Essa questão de competitividade é um dos principais fatores para determinar a economia do setor industrial. É essa competitividade que garante a vantagem de determinado país dentro do comércio internacional, ou seja, é ela que destaca uma economia dentre a concorrência.

De acordo com Renato da Fonseca, que representa a CNI, os dados do setor industrial do Brasil mostram que o país não conseguiu acelerar em sua competitividade. Ele ainda complementou dizendo: “Para avançar, a indústria brasileira terá que acelerar o crescimento mais que os demais países”.

A confederação ainda divulgou quais foram os critérios utilizados para definir a competitividade do setor industrial de cada um dos 18 países analisados. De acordo com a CNI, os fatores que fizeram a competitividade da indústria brasileira ser tão baixa foram: setor industrial do Brasil é um dos mais caros de investir, quando comparado a outros países; ambiente macroeconômico e de negócios do Brasil é o terceiro pior entre os 18 países analisados; e a educação do Brasil aparece em 11º lugar.

O único aspecto positivo apresentado pela análise feita em relação a competitividade do Brasil foi que o setor industrial do país possui a melhor disponibilidade em relação a mão de obra e o custo dessa contratação. Nesse quesito o Brasil subiu no ranking para a 6ª colocação, ficando atrás apenas de países como o Peru, Turquia, Chile, Índia e Colômbia.