Fique por dentro sobre as origens do São Paulo Fashion Week, por Donata Meirelles

Assim que foi inaugurado, o Morumbi Fashion logo deu início ao evento que se tornou o mais importante em se tratando da moda brasileira. Donata Meirelles explica que, para se ter uma dimensão sobre a importância do São Paulo Fashion Week (SPFW), é possível compará-lo a outros memoráveis encontros de natureza fashion. Desse modo, o SPFW costuma ser classificado como o quinto mais relevante evento de moda. Seguindo, por exemplo, os que ocorrem em Paris, Nova York, assim como Milão e Londres.

 

 

Se no passado os lançamentos de moda no país ficavam mais restritos a clientes de alta classe, com a invenção do São Paulo Fashion Week esta se tornou conceitual, uma vez que o evento era aberto a um público bastante heterogêneo. O encontro de moda começou a receber estilistas com trabalhos peculiares, o que teria contribuído para uma maior liberdade de expressão por meio das peças que começaram a ser criadas. Dentre os nomes que mais se destacaram estão os de Ronaldo Fraga, Glória Coelho e Alexandre Herchcovitch.

 

 

O SPFW, conforme pontua a empresária brasileira, serviu tanto para a divulgação da própria moda, quanto para impulsionar carreiras e marcas. Com isso, grandes modelos puderam desfilar por lá, assim como estilistas de atual renome foram descobertos nas ocasiões em que ocorriam os desfiles. Até mesmo representantes da indústria cosmética conseguiram alavancar a venda de seus produtos por conta da semana de moda brasileira mais relevante do país.

 

 

 

Antes de se tornar São Paulo Fashion Week, houve um evento que é considerado o precursor do SPFW, idealizado por Paulo Borges, um produtor que já havia trabalhado em outros destacados eventos de moda no país. Os encontros fashion que ocorriam em solo brasileiro, principalmente no eixo Rio-São Paulo na década de 1.990, eram em sua maioria voltados à apresentação de estilistas, a fim de que estes se tornassem mais conhecidos do público. Já nesse último caso, o objetivo era fornecer espaço aos profissionais que já haviam mostrado seus trabalhos, destaca Donata Meirelles.

 

 

No ano de 2.000 houve uma espécie de encerramento de alguns outros eventos de moda que ocorriam no Morumbi Fashion. Desse modo, logo no ano seguinte se iniciava o que viria a ser o maior encontro fashion nacional: o São Paulo Fashion Week. Grande parte dos estilista que passaram a exibir suas coleções no SPFW tiveram suas trajetórias marcadas por outras mostras que foram realizadas no mesmo local, mas com outras denominações. Após sua inauguração, algumas modificações puderam ser observadas, analisa a empresária.

 

 

Assim que a São Paulo Fashion Week começou a ser adotada anualmente, criou-se uma espécie de calendário de moda no país. Isso fez com que o setor têxtil nacional ganhasse maior visibilidade também no exterior. Houve grande contribuição de natureza econômica, ressalta Donata Meirelles, uma vez que tal segmento passou a contar com um maior número de estilistas, favorecendo toda a cadeia de produção.

 

 

A empresária relata que a trajetória da SPFW não foi algo fácil. Muitos revezes ocorreram, de modo que todos foram superados com o passar do tempo. As denominações para o evento foram se modificando ao longo dos anos, mas algo que permaneceu inalterado foi o comando da produção do encontro, que sempre ficou a cargo de Paulo Borges. Para se ter ideia da dimensão do evento, é válido ressaltar que este já é tido como o maior da América Latina, sendo também um dos mais expressivos do mundo.

 

 

Anualmente, o SPFW consegue reunir um público de cerca de 1 milhão de pessoas. Ao todo, estima-se que mais de 350 modelos desfilem pelo local. Os investimentos para que o evento ocorra são vultosos, já que R$ 5 milhões são empregados para que a semana de moda tenha seu brilho peculiar, noticia a empreendedora brasileira. Há um único estilista que participou de todas as edições do encontro. Donata informa que trata-se de Alexandre Herchcovitch.

 

 

Nos dias atuais o evento impressiona por suas proporções gigantescas. No início, entretanto, havia um público modesto, formado por cerca de 300 pessoas. A quantidade de desfiles realizada inicialmente também era pequena, se comparada com o cenário atual, já que ocorriam apenas quatro por dia. A questão da sustentabilidade sempre foi exposta no evento. Uma das ocasiões mais emblemáticas foi quando a estilista Glória Coelho expôs 120 painéis como maneira de incentivar práticas sustentáveis.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *