Eduardo Sirotsky Melzer e a Gestão de Pessoas

Eduardo Sirotsky Melzer, um dos mais influentes e talentosos empreendedores da atualidade, ressalta a importância da gestão de pessoas e valorização do ambiente de trabalho e qualidade de vida de seus funcionários, impactando diretamente em resultados mais expressivos e maior produtividade.

Presidente e chairman do Grupo RBS, Eduardo Sirotsky Melzer destaca que o papel de administrar um clima organizacional satisfatório aos colaboradores não cabe unicamente ao departamento de RH, mas sim a todos os integrantes da empresa, partindo dos cargos de chefia. Um bom gestor deve desempenhar um papel de líder, estimular seus funcionários a desenvolver e aprimorar suas habilidades, deve conduzir a equipe para o crescimento profissional e pessoal.

Eduardo Sirotsky Melzer declara que seus colaboradores são seu maior legado e não poupa esforços para promover políticas de valorização e capacitação de seus funcionários, além disso preocupa-se muito com o papel social que a empresa exerce sobre a sociedade, procurando sempre medidas sustentáveis e que proporcionem crescimento e desenvolvimento para o país. Em 2015 foi Destaque na lista de líderes do Cambridge Institute for Family Enterprise (CFEG),como membro das novas gerações de famílias empresárias ao redor do mundo que estão à frente dos negócios e são considerados exemplos para a sociedade.

Formado em Administração de Empresas pela Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (PUCRS), com Mestrado e MBA em Harvad,acredita que o sucesso de uma empresa familiar como é o Grupo se deve a uma boa administração e conhecimento de gestão humana, fator fundamental para que a empresa se diferencie das demais.

Eduardo Sirotsky Melzer começou cedo sua carreira de sucesso, sua jornada teve início nos anos 90 como Franqueador master da multinacional Sweet Sweet Way, e não parou de crescer,ocupe hoje o cargo mais alto do Grupo familiar, além de suas funções na corporação participa ativamente em organizações de promoção e qualificação profissional, ministrando palestras em fóruns nacionais e internacionais e como Membro do Conselho Nacional de Auto-Regulamentação Publicitária (Conar),Conselho Executivo das Normas-Padrão (CENP),Conselho da Bienal do Mercosul e Conselho da Fundação Iberê Camargo.

 

Carreira:

2016: Chairman e presidente Grupo

2012: Chairman e fundador da e.Bricks Digital

2012: Presidente Grupo

2010: Vice-Presidente Executivo Grupo

2008: Vice-Presidente de Mercado e Desenvolvimento de Negócios do Grupo

2004: Diretor-Geral para o Mercado Nacional do Grupo

2004: Diretor-geral da empresa de mídia BoxTop Media

2002: Analista Financeiro Sênior da Delphi Corporation

2001: Consultor Booz Allen & Hamilton

Anos 90: Franqueador master da multinacional Sweet Sweet Way

 

Todo seu talento e empreendedorismo lhe renderam diversos prêmios, entre eles destacam-se:

 

Prêmio Caboré 2006 na categoria Profissional de Veículo

Destaque Profissional 2009 da Associação Brasileira de Propaganda (ABP) na categoria Executivo de veículo

Prêmio Coletiva.Net 2011 na categoria Gestão de Marketing/Comunicação/Grupo de Comunicação

Prêmio Empresário de Comunicação do Ano 2013 da Semana ARP de Comunicação

Prêmio Empreendedor do Ano 2015 (Ernst e Young) na categoria Family Business

Destaque na lista de líderes do Cambridge Institute for Family Enterprise (CFEG) de 2015

Prêmio Mérito em Administração no setor Privado em 2015.

 

Além de profissional bem-sucedido e exemplo de liderança, Eduardo Sirotsky Melzer e amante dos esportes, em especial a corrida, é casado e pai de três filhos.

 

Redação da Fuvest tratou da maioridade que dizia Kant

Seja por meio do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) ou de um vestibular próprio da instituição de ensino superior, o estudante com a pretensão de tornar-se um universitário, inevitavelmente, terá de fazer uma redação dissertativa como parte da seleção. No caso da Fuvest, instituição que realiza o vestibular da Universidade de São Paulo (USP), a prova desse ano, realizada no dia 8 de janeiro, um domingo, contou com uma redação cujo o tema envolvia a obra filosófica de Immanuel Kant. Fato é que essa escolha de tema repercutiu enormemente.

 

Nesta redação, o candidato a universitário teve de tratar de alguns conceitos iluministas elaborados na obra do referido filósofo. Diziam os candidatos, ao saírem da prova, que trechos de um texto datado de 1784, escrito pelo próprio Kant, serviram como base para que este pudessem escrever as suas respectivas redações, falando como pode o homem alcançar o esclarecimento, saindo assim da “menoridade”, quer dizer, tonar-se maior por meio do seu próprio entendimento.

 

Mais ainda sobre o referido texto, pode-se dizer que foi um clássico de sua época, séculos atrás, de título traduzido no Brasil como “O que é Iluminismo?”. Nele, faz-se uma exaltação da razão, que é, sabidamente, um dos conceitos que estiveram no centro daquele movimento, durante o século XVIII, com sua recusa de dogmas. Recusa essa que deu então à ciência moderna, ainda recente, e à racionalidade como um todo, os papéis centrais no desenvolvimento da civilização dali em diante, seja no campo político, econômico, educacional, ou qualquer outro. É o que convencionou-se chamar, não por acaso, de secularização.

 

Obviamente, esse tema não é dos mais simples, mas também houve quem o aprovasse. Provavelmente, pessoas que o estudaram. No entanto, uma quantidade até considerável de estudantes acabou por nem mesmo aproveitar a oportunidade e tentar sua sorte e, principalmente, mérito. É que, segundo o relatório já divulgado pela Fuvest, o índice de abstenção foi de 8,5%. Em números exatos, do total de 22.869 candidatos inscritos, a incrível quantidade de 1.933 deles, pelos mais variados motivos, faltou à prova.

Como já dito, houve candidato que adorou o tema, sim. Esse foi o caso de Victor Borzakuel, que disse, inclusive, ter achado fácil a fazer a redação, dado o tema, que ele logo aprovou. Contou ainda que se tratava de a humanidade já ter atingido a sua maioridade, trazendo esse conceito kantiano de fazermos as coisas por nós mesmos. “Daí perguntou se a gente concordava ou não com isso”, completou o estudante.

 

Passando para uma outra opinião de quem fez a Fuvest, dessa vez de Carlos Augusto, um professor de história e geografia, conclui-se que o tema não foi tão restritivo e complexo assim, como pode parecer para alguns não familiarizados com o conceito. Afinal, “você podia abordar isso [o tema] de várias formas”, segundo conta o professor, que disse ter preferido abordá-lo por um lado mais político. E, apesar ter dito gostar das “particularidades”, por justamente ter achado fácil, diz sentir-se temeroso, por sempre ter medo de quando isso acontece. “Agora fica a dúvida, vamos esperar”, completa ele.

 

 

A ‘máquina de fazer gols’ Cristiano Ronaldo é eleito o Melhor Jogador do Mundo pela quarta vez.

Todo ano, a FIFA (Federação Internacional de Futebol) elege, através de votações feitas pelos técnicos, capitães, jornalistas e torcedores registrados, os melhores do futebol mundial. Além do prêmio de Melhor Jogador, a FIFA premia a Melhor Jogadora Feminina; Melhor Técnico; Gol mais bonito (Prêmio Puskas), dentre outros. A primeira edição do prêmio aconteceu em 1991.
A expectativa maior sempre fica sobre o prêmio de Melhor Jogador do Ano. Nesta edição, os candidatos ao prêmio eram Cristiano Ronaldo (Portugal/Real Madrid), Lionel Messi (Argentina/Barcelona) e Antoine Griezmann (França/Atlético de Madrid). Porém, com sua temporada impecável, Cristiano Ronaldo superou seus rivais e foi premiado. Com Portugal, conquistou o inédito título da Eurocopa 2016. Pelo Real Madrid, alcançou o título da Champions League e do Mundial Interclubes, além de sua expressiva quantidade de gols e assistências.
Na cerimônia de premiação, em Zurique/Suiça, C. Ronaldo comentou sobre o ano de 2016 em seu discurso de agradecimento: “E dizer que o ano de 2016 foi o melhor ano da minha carreira. Havia muitas dúvidas, mas um troféu que mostrou que as pessoas não são cegas. As pessoas veem os jogos, as competições. Depois do que eu ganhei com a seleção e com meu clube eu não tinha dúvidas que deveria ter ganho este troféu. Foi um ano magnífico a nível pessoal, a nível coletivo, jamais posso esquecer desse ano maravilhoso” (Globo Esporte).
Porém, esse título não é inédito na carreira de Cristiano Ronaldo. O atleta, atualmente com 31 anos, já foi premiado outras três vezes em 2008, 2013 e 2014, estando apenas com a diferença de um atrás de Lionel Messi, o maior ganhador do prêmio, com cinco títulos.
Messi e todos os outros jogadores do Barcelona não estavam presentes no evento, algo que C. Ronaldo fez questão de comentar: “Obviamente, que a presença do Messi e dos outros jogadores do Barcelona ficava mais bonita a gala (a festa), como foi nos outros anos. Mas o Griezmann esteve presente. Eu entendo, tem jogo quarta-feira, um jogo importante, mas isto não afeta de alguma maneira este troféu porque eu ganhei” (SporTV)
Os outros vencedores do prêmio da FIFA foram: o italiano Claudio Ranieri, campeão inglês com o Leicester, eleito Melhor Técnico; a norte-americana Carli Lloyd, atleta do Houston Dash, conquistou o título de Melhor Jogadora do Mundo; o Prêmio Puskas (Gol mais bonito) foi para o malaio Mohd Faiz Subri, jogador do Penang.
A FIFA também premiou o presidente do Clube Atlético Nacional, por abrir mão de ser campeão da Copa Sul-americana, após a tragédia com o time da Chapecoense, seu finalista. Com isso, o time brasileiro foi declarado campeão do torneio. Na cerimônia, foram dedicados alguns minutos para homenagear a Chapecoense.
Outra homenagem que ocorreu no evento, foi prestada ao jogador de futsal Falcão, ganhando o prêmio “outstand career” (“carreira excepcional”), por todas as suas conquistas no esporte.

As conquistas de um cidadão que começou de baixo: Marcio Alaor é homenageado por sua cidade natal e lembra de sua longa caminhada ao sucesso

Durante a 33a Exposição Agropecuária de Santo Antônio do Monte, a Expô Samonte, o executivo que nasceu nessa cidade Marcio Alaor foi homenageado por sua história de superação, amizade e retribuição aos cidadãos desse lugar que tanto o ajudou em sua longa escalada para o sucesso.

 

No evento, foi inaugurada a Praça de Alimentação Marcio Alaor de Araújo, em homenagem ao atual vice-presidente do Banco BMG. Além disso, o executivo ainda recebeu uma placa de reconhecimento, demonstrando que sua cidade valoriza todos os benefícios que ele trouxe para ela, tal como os múltiplos incentivos financeiros que ele realizou. Mas se hoje ele é considerado uma parte tão importante da sua cidade natal, no início da sua história foi preciso lutar contra as mais variadas dificuldades para abrir o caminho do seu sucesso.

 

Quando criança, Marcio Alaor precisou trabalhar como engraxate. Mas apesar de todas as dificuldades que a função de engraxate oferece, inclusive um certo demérito perante a percepção da sociedade, é relatado que o garoto não fazia pouco caso e procurava pela maior quantidade de serviço que podia encontrar. Observando toda a dedicação daquela criança, o médico Dr. Wilmar decidiu ajuda-lo. Mas aparentemente Wilmar era um homem sábio e não queria oferecer a falsa ajuda daquele que dá o peixe, mas não ensina a pescar. Então, quando todos os seus sapatos já estavam limpos, o médico enviava novamente os calçados para o garoto, mesmo sem qualquer necessidade disso e o menino sempre aproveitava as oportunidades que recebia.

 

Com experiências como essa, é possível compreender como Marcio Alaor aprendeu o valor de uma amizade. Quando não tinha nada, outras pessoas estenderam-lhe a mão e o ajudaram sem qualquer outro motivo que não fosse a vontade desinteressada de agir bondosamente. Por meio disso, o executivo pode perceber que o valor das pessoas é maior que o valor do dinheiro, já que o dinheiro não compra a bondade e a bondade não precisa do dinheiro para existir. Em sua vida, ele dependeu de outras pessoas para atingir o seu sucesso profissional. E em suas atitudes como empreendedor, ele sempre demonstrou privilegiar as pessoas de sua confiança em relação ao dinheiro em si, uma vez que a confiança é coisa rara e precisa de muitos anos para ser formada.

 

Durante a sua existência, Marcio Alaor desenvolveu grande apreço por Santo Antônio do Monte, sua cidade natal. Devido às pessoas que encontrou em seu caminho, os cidadãos desse lugar passaram a ocupar um lugar especial em seu coração e ele sente que deve retribuir tudo que recebeu. Com isso, o executivo do Banco BMG procura incentivar as atividades econômicas da cidade, principalmente o agronegócio. E com sua atitude empreendedora ele compreende o potencial da região e busca pelos talentos que existem ali. Por ter recebido oportunidades quando não tinha nada além de sua força de vontade, ele agora procura reconhecer nos mais pobres essa mesma disposição, acreditando que mesmo aqueles que parecem ser incapazes podem atingir uma boa posição profissional, assim como ele conseguiu.

HSBC divulga ranking com os melhores destinos fora do país para se trabalhar

Quem aqui não gostaria de saber qual é o melhor lugar do mundo para se dar bem no trabalho caso resolvesse sair do país? Pois bem, pensando nisso, o banco HSBC montou um questionário online que foi respondido por cerca de 27 mil empregados estrangeiros em 100 países diferentes. E adivinhe só qual foi o melhor país ranqueado – bom, se você disse Suíça, parabéns.
Bem Robinson, da ferramenta interativa criada pelo HSBC para avaliar os variados destinos, a Expat Explorer, explica que para participar do questionário, bastava que o internauta morasse em um país diferente ao de nascimento e tivesse pelo menos 18 anos.
Em primeiro lugar, o ranking compara o valor do salário, e nessa categoria a Suíça vence disparado. O país oferece um valor anual de US$ 188.275 – cerca de R$ 601.952 – o que é quase o dobro da média mundial. Em segundo lugar na categoria, está Hong Kong, com uma média de pagamento anual de US$ 169.756 – R$ 542.743 . Logo em seguida, fica a Índia, que registra uma remuneração anual de US$ 145.057 – isso significa cerca de R$ 463.776.
Os EUA, considerado uma das maiores potencias mundiais e um dos destinos mais almejados por grande parte das pessoas que desejam morar fora do seu país de origem, aparecem em sexto lugar, com uma média anual de US$ 129.794 – ou seja, mais ou menos R$ 414.977.
No entanto, a ordem da lista final não é bem essa, já que também leva em conta fatores como qualidade de vida, serviços de saúde, segurança e facilidade para fazer amigos.

O poder Suíço
Pelo segundo ano seguido, a Suíça lidera a ponta de cima da lista do HSBC, tanto em salário como em termos gerais. Apenas para se ter uma ideia, é lá a sede da Organização das Nações Unidas (ONU). Além disso, o país europeu também sedia várias empresas multinacionais, como por exemplo, a farmacêutica Novartis, a firma de serviços financeiros e investimentos UBS Group AG, e a Glencore, principal companhia privada do mundo, dedicada a compra, venda e produção de matérias-primas e alimentos.
O chefe do HSBC Expat, divisão do banco dedicada a serviços para trabalhadores estrangeiros, Dean Blackburn, diz que “os trabalhadores estrangeiros colocam a Suíça no topo da lista não só pelos salários, mas pelo bem-estar”.
De todos os empregados que responderam ao questionário do banco, 69% deles garantem que quando se mudaram para a Suíça, o equilíbrio entre o trabalho e a vida privada melhorou. Alguns trabalhadores, entretanto, também deram pontuação baixa para o país em outros critérios. É o que indica os quesitos “fazer amigos” e “vida social”, que, na avaliação, deixaram a desejar, conforme dados gerados por parte dos participantes que responderam a pesquisa. Por outro lado, no quesito “qualidade de vida”, o país da Europa está muito bem.

Confira a lista do dez melhores destinos no ranking geral
1. Suíça
2. Alemanha
3. Suécia
4. Emirados Árabes Unidos
5. Noruega
6. Cingapura
7. Áustria
8. Hong Kong
9. Reino Unido
10. Bahrein

Estresse pós-traumático: conheça os sinais de alerta

Uma realidade dos dias atuais, o estresse pós-traumático é desencadeado por situações extremas sofridas pelas pessoas, tais como assaltos, abusos de vários tipos, catástrofes, etc. Alguns estudos científicos apontaram que cerca de 20% dos indivíduos expostos a estas formas de ocorrências, estão propensos a desenvolverem a síndrome.

Conhecido cientificamente pela sigla TEPT (transtorno do estresse pós-traumático), o distúrbio costuma aparecer logo após a exposição a acontecimentos que instantaneamente gerem algum tipo de sobrecarga de ansiedade. Os sinais de que a doença está se instalando, envolvem fenômenos de ordem psíquica, física e emocional. De acordo com a psicóloga Marina Arnoni Balieiro, que atende no Complexo Hospitalar Edmundo Vasconcelos, a pessoa que desenvolve tal distúrbio pode vivenciar a mesma experiência traumática de maneira reiterada, por meio de lembranças e pesadelos.

Conforme a especialista, o paciente sente a necessidade de manter-se longe de qualquer tipo de situação que remeta ao ocorrido, além de apresentar menor afeto por tarefas ou pessoas. A semelhança com outras doenças pode ocorrer em virtude de sintomas que o indivíduo possa ter, como por exemplo, crises de pânico, alterações significativas no humor, dificuldades para se ter uma noite tranquila de sono e constante irritação.

Quadros súbitos de depressão, medo constante e sensação de impotência frente a perigos hipotéticos, também são sintomas característicos. Para a psicóloga, a angústia decorre principalmente das lembranças involuntárias que a vítima desse tipo de circunstância tem. Ela enfatiza que o transtorno pode se instalar de duas maneiras. A primeira delas, costumeiramente surge em um período de quatro meses e possui caráter crônico. Já nos casos em que os sinais surgem somente após seis meses, denomina-se o processo como tardio.

Mesmo sem terem passado por situações negativas, há o risco de algumas pessoas desenvolverem o TEPT de forma indireta, explica a profissional do Complexo Hospitalar Edmundo Vasconcelos. De acordo com Marina, quem avistou o acontecimento traumático ou ajudou no socorro de vítimas, não está imune a esse tipo de mal. Ela ressalta, porém, que não há como se saber ao certo quem será afetado por tais circunstâncias, uma vez que os indivíduos apresentam diferenças psíquicas entre si.

A especialista cita que já existe a preocupação em se prestar atendimento psicológico para vítimas de tragédias de grandes dimensões tão logo elas tenham ocorrido, a fim de se evitar que este e outros tipos de distúrbio encontrem condições de se instalarem.

 

O tratamento deve ser constante e seguido de acordo com as orientações dadas pelo profissional de saúde, conclui.

 

Sergio Cortes e a Ortopedia Moderna

Ortopedia é um ramo da medicina que têm seu foco na correção de deformidades do esqueleto humano, e tudo que está diretamente ligado a ele, constituindo o sistema esquelético, como os ossos, os músculos, os tendões, as articulações e os ligamentos.
A ortopedia aqui no Brasil, é unificada com outra área da medicina, a traumatologia, justamente por serem áreas muito parecidas e complementares, sendo que a traumatologia diagnostica problemas no sistema muscular-esquelético, responsável pela locomoção e realização de todos os movimentos do nosso corpo.
No mundo em que vivemos a ortopedia será uma especialidade médica que cada vez mais terá sua ação ampliada e melhorada, buscando sempre inovações nos tratamentos, e novas tecnologias que facilitem a vida de pessoas com deficiências físicas e motoras. Isso porque a forma de vida moderna exigirá que cada vez mais ortopedistas tenham que entrar em ação.
E essas novas tecnologias já são realidade, coisas que podem parecer loucura, dignas de um filme de ficção científica, mas que já estão sendo testadas para se tornarem úteis no futuro. Um exemplo desse processo, como informa Sergio Cortes, foi o resultado alcançado pelos cirurgiões do Hospital Geral de Southampton, no Reino Unido. Eles conceberam um implante de quadril impresso em 3D, que se fundiu no corpo do paciente de uma forma orgânica, através da adesão realizada por meio de células tronco, que foram retiradas do mesmo paciente.
Em vista disso, é incontestável a posição importante e inovadora que as modernas impressoras 3D desempenharão no futuro, pois com ela é possível criar próteses rápidas e eficientes para

muitos tipos de problemas, como amputações e má formação de membros.
Sergio Cortes explica ainda que a disseminação cada vez maior da prática de atividades físicas, com esportes de alta intensidade causando lesões nos praticantes mais preparados, os tratamentos ortopédicos serão cada vez mais exigidos para a reparação dos ossos e músculos prejudicados pelo esforço em excesso nas atividades.
Outro aspecto que o médico Sergio Cortes coloca é o aumento da expectativa de vida da população, que está cada vez mais idosa, e que por conta disso acaba por sofrer com as agruras da idade, como a osteoporose, em que os ossos do idoso ou da idosa se tornam fracos e quebradiços, justamente pela perda de massa óssea. E para tratar essa doença, Sergio Cortes diz ser crucial se exercitar, para fortalecimento dos ossos, e também se alimentar bem, com uma dieta rica em cálcio e vitamina D, que pode ser complementada com remédios se o médico achar que for o caso.
O profissional ortopedista, de acordo com as informações de Sergio Cortes, pode exercer sua profissão em diversas áreas, sendo muito abrangente a sua atuação no mercado de trabalho. Ele pode fazer cirurgias para correção de lesões e deformidades, realizar o tratamento de fraturas com maior ou menor grau de complexidade, pode atuar como um especialista em coluna ou má formação óssea, e pode ainda corrigir pacientes com problemas posturais. Se especializar hoje em dia, já é visto como crucial para se crescer na profissão, visto que os traumas cada vez mais complexos necessitam de uma mão de obra altamente especializada.

O que é Sifilis e será que estamos vivenciando uma epidemia desta doença?

Segundo pesquisas do Ministério da Saúde, existe atualmente uma verdadeira epidemia de Sifilis que é causado segundo aponta estes mesmos especialistas ser o aumento da pratica de sexo sem nenhum tipo de proteção falando de modo especial entre os jovens o que apresenta um dado preocupante segundo alega.

Uma das formas mais comuns de contagio desta doença, é o pratica de sexo oral entre os jovens o que faz com que quando a língua entre em contato com a região onde existe a lesão haja o aparecimento de uma lesão indolor este é o primeiro estagio desta doença que pode inclusive matar.

Sifils X HIV:

A doença sexualmente transmissível(DST) mais conhecida é o HIV conhecida popularmente como Aids, porém em se falando de DST a Sifilis, é uma doença curável, mas de outro lado como colocado anteriormente é uma doença que pode trazer uma série de danos até maiores que a Aids aos adolescentes em se falando de DST.

A Sifilis, possui basicamente 3 estágios, sendo que esta doença pode ser contagiosa apenas no primeiro e segundo estágio, que consiste na Sifilis primaria e secundaria, onde se tem uma incidência maior de contágios desta doença.

Como se pode contagiar por meio da Sifilis?

A Sifilis, basicamente pode se ter como contagio as seguintes formas:

1- Por meio de relação sexual; Segundo dados do Ministério da Saúde, esta é a forma a qual está fazendo com que estoure no Brasil uma verdadeira epidemia de Sifils, trazendo uma série de problemas maiores para as pessoas.

2- Por meio de contaminação congênita; Assim como a Aids a Sifilis pode ser transmitida para o feto.

Por que se prevenir contra a Sifilis?

A Sifilis ao contrário da Aids, consiste em uma doença que pode ser tratada favorecendo assim a qualidade de vida do paciente, porém está éuma doença que a gente forma silenciosa no organismo trazendo uma série de problemas e questões maiores para a vida das pessos que são acometidas por está doença.

Portanto, todo o cuidado é pouco em termos de precaução para evitar que o contágio dai a importância da chamada pratica do sexo seguro, ou seja, passar a utilizar por prevenção nas relações sexuais. Saiba mais em: http://bit.ly/2gMmAML