Como planejar uma estratégia de seo

Como ser o primeiro nos motores de busca? Posso subir uma posição no Google e conquistar a primeira posição? Talvez não haja truques e segredos. Mas você pode aproveitar essas dicas de SEO.

Eu vejo o planejamento de SEO como uma mistura entre o cumprimento de regras mais ou menos fixas e a observação de parâmetros específicos do caso individual. Resumindo o conceito, eu diria que é baseado em uma variabilidade substancial e perturbadora de todos os fatores.

Planejamento de SEO – Aponte para o posicionamento do site e das notícias. Não posso ter certeza de que essas dicas de SEO são a solução definitiva para melhorar o ranking do Google sob quaisquer circunstâncias. Mas eles representam um bom ponto de referência no qual basear os trabalhos de otimização para uma otimização mais articulada e específica do mecanismo de busca.

Melhore seu planejamento de SEO – O conteúdo é rei, esta é a regra básica. A melhor maneira de obter vantagem dos mecanismos de pesquisa e boas ligações de entrada, com classificações relativas do Google, é escrever textos realmente válidos. Mas vou lhe contar mais: a perspectiva mudou.

Primeiro, a história foi a de publicar texto, o valor agregado para comunicar ao Google a presença de qualidade. O rastreador lê o texto e toma uma decisão com relação ao seu planejamento de SEO, mas esse não é mais o caso: sua meta não é inflar as páginas do texto, mas dar às pessoas o que elas precisam.

E você tem que fazer isso da melhor maneira possível, eliminando a redundância e secando as páginas do texto que pode ser supérfluo. De fato, trabalhar para satisfazer as perguntas da melhor maneira possível: talvez através de vídeos, imagens e gráficos. Para ser o primeiro nos motores de busca, não basta repetir a palavra-chave, trabalhar com sinônimos ou escrever. Saia dos padrões que tendem a simplificar a estratégia de SEO.

Você quer ser encontrado para mais pesquisas? Abra um blog e comece a postar para que as pessoas encontrem você que precisa da sua ajuda. Este é o marketing de entrada, e o planejamento de SEO é parte integrante dessa dinâmica. Mas, para ser eficaz, você precisa fazer uma boa pesquisa de palavras-chave.

Dicas para gerenciar uma crise de mídia social

Ligue as notícias, navegue pelo Twitter ou converse com um amigo nos dias de hoje, e você provavelmente ouvirá falar de outra marca ou indivíduo sofrendo outra crise induzida pela mídia social de algum tipo.

Parece que todo dia, a cada hora, há algum outro desastre nas mídias sociais. Isso significa que, de repente, as marcas estão se comportando de maneira mais deficiente, ou esse é o estado de como vivemos agora?

Sabemos que o principal poder das mídias sociais é a amplificação, e isso significa que boas e más notícias são histórias mais amplamente compartilhadas do que nunca. E admita – quando você vê uma marca sofrendo a ira de tweetstorms, é difícil desviar o olhar. De tweets insípidos a imagens compartilhadas no Facebook que nunca deveriam ter sido criadas, e muito menos postadas em nossa página de fast-food favorita, o gerenciamento de crises na mídia social nunca foi tão importante. Agora é mais um “quando” do que uma “crise”, se vai acontecer – e você sabe o que dizem, “Se você não planeja, planeja fracassar”.

Crie uma política de mídia social – Certifique-se de ter uma política de mídia social documentada. Quando você tem orientações claras para seus funcionários sobre o que postar – e o que nunca deve considerar postar – você diminui o risco de alguém ser desonesto e enviar seus perfis de mídia social para um problema.

Ouça os problemas de captura no início – Utilize a escuta social para superar possíveis problemas. Feita bem e de forma consistente, a escuta social pode ajudar a evitar que as questões se transformem em crises completas.

Ao ouvir atentamente, você pode avaliar como as pessoas estão se sentindo em relação à sua marca e, com o tempo, você entenderá a diferença entre resmungos e uma mudança significativa no sentimento em relação à sua empresa. Se de repente você vir um aumento acentuado nas menções da marca, você notará isso imediatamente também.

Estabelecer um Plano de Comunicações de Crise – Ter isso antes de você precisar, permitirá que você responda rapidamente, antes que algo saia do controle. A chave para administrar uma crise na mídia social é a pontualidade – sua meta deve ser responder dentro de uma hora após a crise ser disseminada.

Use mídias sociais para o seu negócio

Você não pode ignorar a mídia social. É onde toda a chamada mágica está acontecendo. Algumas empresas foram construídas apenas nas costas das mídias sociais. Pode ser intimidante no começo. Certo. Mas à medida que você aumenta o ritmo, você encontrará postagens nas mídias sociais para ficar mais fácil ao longo do tempo.

Claro, você também pode contratar um gerente de notícias de mídia social se tiver dinheiro para gastar. Mas se você não fizer isso, seja você mesmo. Seja autêntico. Poste seus pensamentos. Publique seus produtos. Poste tudo o que achar relevante e útil para ajudar seu público a saber mais sobre você e sua empresa ou sobre o setor em que você está.

Use mensagens diretas em plataformas como o Instagram e até mesmo o Snapchat ou o Twitter para alcançar outras empresas de sucesso ou mesmo para se comunicar com clientes em potencial que possam estar procurando por seus produtos e serviços. Isso é marketing muito poderoso.

Crie tutoriais em vídeo. Uma das maneiras mais eficazes de divulgar seu negócio é criar tutoriais em vídeo. Ensine às pessoas algo útil. Ande com eles. Segure suas mãos. Quanto melhor você estiver nisso, e quanto mais valor você fornecer, mais rápido você poderá aumentar sua visibilidade e, por fim, suas vendas.

Hoje, o YouTube é o segundo maior mecanismo de pesquisa do mundo por trás do Google. Sempre que alguém quer aprender algo visualmente, eles vão para lá. Você provavelmente já fez isso inúmeras vezes. Então, pergunte a si mesmo o que você poderia ensinar em seu negócio que ajudaria os consumidores a resolver algum ponto problemático. O que você tem em negócios em primeiro lugar?

A parte mais difícil? Ouvir sua própria voz tocando e até mesmo se ver. Agora, você não precisa aparecer visualmente na câmera, mas provavelmente precisará ser ouvido. Você se acostuma com isso ao longo do tempo. Mas você não pode ignorar a visibilidade e o alcance do YouTube, então saia e comece a criar vídeos autênticos e úteis hoje mesmo.

Comece a blogar agora. Claro, você poderia começar um blog de economia. Ou se você não tem um blog para o seu negócio de Cestas de Presente, então você deveria começar um imediatamente. Mas você não precisa apenas blogar em seu próprio blog. A maioria das pessoas acha o blogging mundano porque falta visibilidade. A verdade é que seu blog vai ser como um deserto árido, a menos que você saiba o que está fazendo.

Liderança vs. Gestão: Uma Definição

No mundo de hoje, “liderança” e “gestão” são muitas vezes usados de forma intercambiável. No entanto, é fácil imaginar certas pessoas que parecem ótimas no que poderíamos descrever como gerenciar – coordenar e tomar decisões operacionais específicas – e outras melhor liderando – inspirando outras pessoas e definindo uma visão para uma organização. Pense, talvez, em Tim Cook, o atual CEO da Apple com seu domínio do conhecimento da cadeia de suprimentos em relação a seu antecessor, Steve Jobs. Ambos provavelmente têm atributos de grande liderança, além de excelente administração. Gestão forte pode ser vital para alcançar as metas de qualquer empreendimento ou organização. No entanto, sem uma liderança forte, até mesmo um gerenciamento robusto está destinado a fracassar. A liderança é essencial para qualquer empreendimento. Aspire ser um líder e aprender as habilidades necessárias para diferenciá-lo do ato de simplesmente gerenciar um processo.

A administração é um termo bem estabelecido nos corredores das escolas de administração e nos manuais dos conglomerados corporativos. De acordo com o Business Directory, gestão refere-se a “A organização e coordenação das atividades de um negócio para alcançar objetivos definidos.” A definição convencional de gestão muitas vezes invoca a mentalidade de que os processos são estáticos, as pessoas são intercambiáveis e são empregadas para executar uma tarefa específica, e que as decisões devem ser tomadas considerando a linha de fundo como o fator mais importante. No entanto, as premissas que ancoraram o termo no mundo dos negócios estão se tornando desequilibradas e todos, dos níveis mais baixos aos mais altos, estão reconhecendo que a “administração” sozinha não perpetua o sucesso. Em vez disso, algo mais é necessário para garantir conquistas e crescimento a longo prazo.

Liderança representa um conceito muito mais difícil de definir e decretar. O colaborador da revista Forbes e autor do best-seller do New York Times, Kevin Kruse, ofereceu essa definição de liderança: “Liderança é um processo de influência social que maximiza os esforços dos outros em direção à realização de um objetivo.” como existem líderes empresariais proeminentes no mundo. No entanto, a definição de Kruse aborda alguns elementos-chave da liderança que às vezes estão ausentes em outras definições.

Manaira Shopping – veja como o empreendimento de Roberto Santiago se manteve em alta

Não parece, mas o Manaira Shopping fez 29 anos no último dia 29 de novembro. O shopping da cidade, como é conhecido o empreendimento idealizado por Roberto Santiago, passou por inúmeras reformas e expansões para se manter atual. Prova disso, são as diversas opções de lazer e diversão, além do ambiente intimista.

Conheça um pouco mais do empreendimento, como ele se mantém atual e a história de seu idealizador.

Renovar para se manter em alta

O Manaira Shopping conta com 280 lojas, mas as pessoas podem ir lá não só para comprar, como também vivenciar boas experiências em atrações que divertem toda a família, casais, jovens, entre outros públicos.

O cinema, por exemplo, dispõe de onze salas equipadas com o que há de mais novo no que diz respeito a exibição de filmes. Além das salas convencionais, os espectadores podem assistir os lançamentos mundiais nas salas 3D e VIP. O Sistema Stadium é um dos seus pontos fortes. Nele as poltronas estão dispostas como uma arquibancada, aumentando o campo de visão.

O Game Station possui mais de 200 máquinas de jogos eletrônicos que agradam todos os gostos e idades. Também merecem destaque o salão de festas, a pista de boliche, academia, praça de alimentação completa, espaço gourmet e muito mais.

Para alinhar sua proposta de constantes mudanças, em 2016 o Manaira passou por uma ampliação para apresentar a nova arquitetura e os corredores mais amplos. Recentemente, já em 2018, entregou o edifício garagem, ampliando a capacidade do estacionamento.

Centros comerciais como fator de desenvolvimento

Esse não é o único centro comercial do empresário Roberto Santiago na capital paraibana. Em 2014 ele inaugurou o Mangabeira Shopping, depois de dois anos de construção. Na ocasião, ele afirmou que o percentual de clientes que migrariam do Manaíra para o Mangabeira não chegaria a 5%.

A estabilidade entre os dois centros comerciais foi mantida, uma vez que o crescimento de público do shopping mais antigo manteve-se em 10% a 15% ao ano. O que mostra a força dos empreendimentos conduzidos por Santiago.

“São dois projetos diferentes”, afirmou o empresário quando o Mangabeira foi inaugurado. Segundo o empresário os dois projetos tem aspectos sociais e urbanos distintos. O primeiro levou moradores ao bairro Manaíra, enquanto o segundo valorizou uma valorização aos empreendimentos à sua volta.

Na época, O Mangabeira representou um passo importante para a cidade, em especial para a zona sul, que cresceu e se desenvolveu. Para Roberto Santiago a região que antes apresentava predominância de casas, hoje possui um cinturão de edifícios e lojas comerciais em volta do shopping.

Um pouco sobre Roberto Santiago

É empresário nascido em João Pessoa (PB). Quando jovem estudou em um dos mais tradicionais colégios da cidade, o Marista Pio X e formou-se em Administração pela Centro Universitário de João Pessoa.

Roberto Santiago sempre gostou de esportes mais radicais como motocross e kart, chegando a participar de diferentes competições. Iniciou sua carreira profissional no Café Santa Clara, porém deixou para abrir seu próprio negócio no ramo da cartonagem. Depois de passar pelo setor de loteamento chegou à administração de centros comerciais.

Dê aos seus líderes aspirantes um teste antes de oferecer a promoção

A ideia de liderar é atraente para muitos indivíduos interessados em avançar em suas carreiras. No entanto, o reconhecimento de que a vida diária de trabalho é focada exclusivamente nos outros, deixando pouco tempo para os esforços que eles tiveram como colaboradores individuais é um fator importante para os negócios. Em outras situações, os indivíduos de repente entram no papel sem muito contexto para o trabalho queimar espetacularmente, deixando uma bagunça em seu rastro.

Para qualquer indivíduo que considere entrar em um cargo responsável pelo trabalho dos outros, investir algum tempo na tentativa de ajustar o papel ajudará a evitar um erro caro na carreira. Para os gerentes responsáveis por identificar e promover indivíduos em cargos de liderança pela primeira vez, é essencial minimizar os erros de seleção de novos líderes.

Uma abordagem para proteger os interesses de todas as partes interessadas é que o gerente exponha o aspirante a líder a diferentes aspectos do papel por meio de uma série de tarefas em que o risco é baixo e a oportunidade de obter uma alta experiência de liderança.

Algumas empresas têm notícias e programas formais de desenvolvimento de economia ou aprendizado de liderança, no entanto, muitos gerentes são autônomos para selecionar e desenvolver novos líderes em suas equipes. Nessa situação, investir tempo para expor seu candidato à liderança a uma série de atividades ou projetos que ofereçam um gostinho do papel pode ajudar a reduzir as chances de uma falha de custo dispendiosa.

Comece pequeno. Peça ao seu funcionário para facilitar algum aspecto de suas reuniões de operações. Dê a eles a oportunidade de desenvolver a parte flexível da agenda e peça-lhes que se coordenem com os membros da equipe para a preparação da reunião. Coloque o indivíduo encarregado de gerenciar a reunião e, em seguida, garantir que os itens de ação sejam concluídos pelas partes responsáveis.

Forneça alguns problemas para resolver. Ofereça ao seu líder aspirante um fluxo contínuo de problemas de processo ou de partes interessadas para resolver. Idealmente, a resolução incluirá o trabalho com outras pessoas no departamento e entre funções.

Guilherme Paulus fala sobre o novo ministro do turismo e discorre sobre a época de transição

O famoso empresário Guilherme Paulus está confiante no trabalho, que deverá ser desempenhado pelo novo Ministro do Turismo, Marcelo Álvaro. Um dos grandes nomes do setor e responsável pela fundação da GJP e CVC, o empresário brasileiro foi entrevistado pelo M&E, durante a Copa Itaipu de Golfe.

Confiante no trabalho de Marcelo Álvaro, ele ressaltou também o trabalho feito pelo antigo ministro, Vinicius Lummertz. Para Paulus, o período de transição de governos foi muito importante e bem feito. Segundo ele, Lummertz fez o possível para entregar o cargo para Álvaro, de forma organizada e evitando problemas.

Ele também ficou feliz pelo atual presidente não ter acabado com o Ministério do Turismo, assim como fez com o do Trabalho. O empresário lembrou que a manutenção dessa pauta é de “importância incalculável”.

Guilherme Paulus participou do Fórum Conectividade

Parar de trabalhar não está nos planos de Guilherme Paulus, que além de acompanhar os negócios que tem em todo o Brasil, também participa de eventos. Foi o que aconteceu no Fórum Conectividade – Hub de Negócios.

Realizado pelo Mercado & Eventos, o encontro aconteceu em 26 de novembro de 2018, no Teatro Renaissance, em São Paulo.

O empresário esteve presente no painel Formação de Hub e encerrou a primeira etapa do evento, ao lado do secretário de Turismo do Ceará, Arialdo Pinho. Guilherme Paulus foi o responsável por entrevistar o secretário sobre as práticas de cooperação entre os aeroportos.

O encontro teve a presença de mais de 300 pessoas e propôs uma grande debate sobre o futuro da aviação comercial.

Para quem não sabe, Guilherme Paulus também já atuou no setor de aviação. Além dos hotéis e da agência de viagem, ele é o empresário que transformou a pequena WebJet em uma grande potência.

Quando comprou a empresa de aviação, ela era praticamente inexistente no mercado. Dona de apenas uma aeronave, não era conhecida nacionalmente. Porém, Paulus mudou essa trajetória.

Ele decidiu investir e tornou a WebJet uma das maiores empresas de aviação do Brasil. A potência chamou a atenção de outras companhias aéreas e Guilherme acabou vendendo. Na época, a transação foi uma das maiores do setor. A WebJet foi vendida com 20 aeronaves.

 

Paulus começou cedo no mundo do turismo

A paixão pelo setor de turismo se deu quando o empresário era muito jovem. Com 22 anos de idade, ele abriu a sua primeira agência de viagens, na cidade paulista de Santos André. Ao lado do seu sócio, fazia excursões para funcionários de empresas da região.

Durante o período inicial, ele e a pequena CVC passaram por muita dificuldade financeira. Um amigo de Paulus chegou a sugerir que ele fechasse as portas e o seu sócio desistiu. Mesmo assim, o jovem decidiu investir e inovar.

Foi diversificando as viagens, oferecendo estadias em hotéis renomados e ajudando na hora do pagamento, que o empresário fez a CVC expandir. Um dos pontos fortes foi passar a parcelar os pacotes. Isso foi essencial para ampliar no número de clientes e fazer a CVC crescer.

O crescimento foi lento, mas aconteceu. Hoje a empresa tem mais de 900 lojas e transporta mais de 4 milhões de passageiros por ano. Assim, a CVC conquistou o título de maior agência de viagens da América Latina.

Guilherme Paulus deseja se tornar o maior nome da hotelaria no Brasil

O sonho de muitas pessoas é enriquecer e parar de trabalhar para viver uma vida de luxos, mas para o empresário Guilherme Paulus, o amor pelo trabalho é mais forte que a vontade de curtir a vida sem preocupações. Após vender a rede CVC para o fundo norte-americano Carlyle pelo montante de R$ 1 bilhão, ele acumulou um patrimônio estimado em quase R$ 2 bilhões, o bastante para ter o seu próprio jato e passar a vida viajando pelos lugares mais exóticos do planeta.

Contudo, em entrevista para a Forbes Brasil, o empresário disse que sequer pensa em se aposentar e viver a vida viajando, pois é aficcionado pelo seu trabalho. De pé todos os dias antes das sete horas da manhã, ele gosta de se manter ativo visitando seus hotéis, conferir como estão as obras e garantir que todos os projetos estão evoluindo conforme o planejado.

Atualmente, Guilherme Paulus se divide entre a função de presidente do conselho administrativo da CVC e também a de proprietário da rede GJP Hotels & Resorts, que foi nomeada com as suas iniciais. Através do trabalho que vem realizando com a GJP nos últimos anos, o empresário mantém o sonho de se tornar o maior hoteleiro do país, revolucionando o setor dentro do turismo nacional.

Criada em 2005, a GJP Hotels & Resorts se tornou a grande aposta do empresário após a venda da CVC. Segundo o empresário, a responsabilidade de torná-la um sucesso é ainda maior, pois esse é o legado que pretende deixar para os seus herdeiros. Porém, o que muitos não sabem é que ele ja havia começado a investir na área da hotelaria vários anos antes, quando adquiriu o hotel Serra­no, em Gramado, durante a década de 90.

Na época, a operação deste e de outros dois hotéis, nas cidades de Foz do Iguaçu e Porto de Galinhas, estavam atrelados à CVC, mas no momento da venda para o fundo Carlyle, Guilherme Paulus optou por deixá-los de fora das negociações. De acordo com ele, a escolha de ficar com esses três hotéis logo o levou a pensar em como expandir seus negócios nesse segmento, o qual possui um grande potencial no Brasil.

Nos dias de hoje, a GJP é avaliada em mais de R$ 500 milhões em ativos, sendo a responsável pela administração de dezenas de empreendimentos por todo o país, os quais estão situados nas cidades de Gramado, São Paulo, Salvador, Rio de Janeiro, Maceió, Aracaju, Porto de Galinhas e Foz do Iguaçu. Nos próximos anos, a expectativa é inaugurar novos estabelecimentos, especialmente no sul e no sudeste do Brasil.

Entre os hotéis administrados pela sua empresa, Guilherme Paulus falou um pouco mais sobre o Sheraton Bahia Hotel, um empreendimento 5 estrelas que fica em Salvador. Apesar da GJP ter a sua bandeira própria para hotéis de luxo, a Wish, o empresário tomou a decisão de pagar royalties para a Sheraton e utilizar o nome de prestígio da rede, tendo em vista que a Bahia é um destino turístico muito popular entre estrangeiros e a bandeira Sheraton tem o benefício de trazer familiaridade e confiança para esses viajantes.

Para os próximos anos, o objetivo da GJP Hotels & Resorts é continuar se expandindo, enquanto Guilherme Paulus planeja criar mais empregos e estimular o setor do turismo no país.

Conheça um pouco da história da CAOA e de seu fundador Carlos Alberto de Oliveira Andrade

A história da CAOA começa na Paraíba em 1979 quando Carlos Alberto de Oliveira Andrade comprou um veículo que nunca foi entregue devido a falência da concessionária. Era um Ford Landau, que rendeu ao médico cirurgião a ideia de adquirir a empresa e mudar sua trajetória profissional. Nascia uma das companhias do setor mais icônicas da história da indústria automotiva brasileira.

Cerca de seis anos depois da guinada, Carlos Alberto de Oliveira Andrade já estava à frente da principal revendedora da Ford no país. O que era só o começo de uma trajetória de sucesso, visto os acordos de importação de veículos com outras marcas como Renault e Hyundai. Seus planos eram maiores, tanto que em 2007 ergueu sua própria fábrica de automóveis em Anápolis – GO, sem ajuda externa, apenas com seus recursos.

Inicialmente a unidade industrial construída em Anápolis era responsável pela montagem dos veículos Hyundai, o que rendeu a Andrade o prêmio de “Distribuidor do Ano” em 2012. A premiação foi o reconhecimento pelo bom trabalho, uma vez que o executivo concorreu com mais 178 distribuidores da marca em todo o mundo.

Como importadora, o melhor ano da CAOA foi em 2011 quando vendeu 89.053 unidades. Neste mesmo ano a sua produção de carros e caminhões foi a maior, com 38.635 unidades. Quanto aos números totais da indústria, 2013 alcançou seu auge com produção de 3.738.448 unidades.

Atualmente Carlos Alberto de Oliveira Andrade não é mais o diretor presidente da CAOA e segue no comando do Conselho de Administração. Posto que o mantém informado e atuante nos principais projetos da companhia.

A parceria com a Chery do Brasil.

Há pouco mais de um ano, a empresa fundada por Carlos Alberto de Oliveira Andrade se aproximou da Chery e juntos firmaram uma parceria ousada para o mercado nacional. A empresa nacional passou a comandar as operações da montadora chinesa, com promessas de lançamentos e aumento do número de concessionárias da rede.

Os primeiros lançamentos anunciados foram o Tiggo 5X e o Arrizo 5X, o primeiro é um SUV robusto e o segundo um sedã médio. Ambos marcam o avanço em design, estilo, mecânica e equipamentos, além do inédito motor 1.5 turbo.

Além deles, a empresa de Carlos Alberto de Oliveira Andrade confirmou que vai produzir no Brasil o modelo Tiggo 7 e vai lançar o Tiggo 8 no mercado brasileiro. O Tiggo 8 é um SUV de 7 lugares muito espaçoso. Essa estratégia agressiva faz parte de um plano maior, principalmente por adentrar em dois segmentos muito disputados no país: SUV e sedã. O que mostra que a parceria tem tudo para render bons frutos ainda nos próximos anos.

A Chery vem de desempenhos pouco consideráveis. Em seu portfólio destacam-se os modelos Celer, QQ e o Tiggo 2x, lançado recentemente. A empresa chegou ao país em 2009 com planos para estender suas ações para fora do país de origem. Em 2014, ela inaugurou a fábrica de Jacareí, no interior do estado de São Paulo, sendo esta a primeira unidade fabril completa longe da China.

Drones são muito úteis no agronegócio, exemplifica Flavio Maluf

 

Quando se fala em “drone”, hoje em dia, é quase certo que a pessoa já saiba do que se trata, afinal, as tecnologias estão cada vez mais presentes em nossas vidas. E os drones, como lembra o atual presidente do Grupo Eucatex, Flavio Maluf, mais ainda, e em vários setores, não apenas no militar, onde ainda se concentra em maior proporção (chega a 89%).

Dente essas várias funções, podemos exemplificar algumas, como a de combater-se o crime ou a de vigiar-se as fronteiras lembra Flavio Maluf, ou até mesmo a prevenção de incêndios. Fora dessa linha de segurança, ele também cita o monitoramento do clima, além de, nas mineradoras, ajudarem os drones na medição de volumes e determinação de curvas de nível. Mas o foco desse empresário está muito além dessas possibilidades, pois reporta que os drones não apenas servem para tudo isso ou apenas para filmagens, como devem pensar alguns, mas, de forma bastante eficaz, para o agronegócio propriamente dito.

Nesse meio, os produtores rurais vêm utilizando dos drones, por exemplo, para a contagem do gado, além de também servirem para a regularização das propriedades junto ao INCRA. Não parando por aí, Flavio Maluf lembra ainda que eles servem, de forma até óbvia, para o mapeamento dessas fazendas e de suas plantações, assim auxiliando, inevitavelmente, também no Cadastramento Rural Ambiental.

O empresário Flavio Maluf que, além de presidir o Grupo Eucatex, é também formado em engenharia mecânica pela Fundação Armando Álvares Penteado (FAAP), procurou detalhar melhor como funciona a contribuição dessa tecnologia em questão ao agronegócio. Tratou, assim, de explicar como as câmeras, que são de alta definição, quando embarcadas na aeronave, ou melhor, drone, propiciam um mapeamento de qualidade, feito enquanto sobrevoa-se o local de interesse. E são esses registros, segundo Flavio Maluf, depois lidos por um software específico, bastante inteligente por sinal, o qual consegue identificar sejam falhas no plantio sejam doenças nas plantas. Mas não para por aí, não, já que é possível detectar, além disso, se há falta de irrigação ou até carência de nutrientes, fora a discriminação de culturas e a detecção de ervas daninhas. Por fim, o empresário destacou algumas possibilidades mais, como a de poder-se contar as plantas e avaliar-se os seus respectivos crescimentos.